Lançamentos literários, apresentações de teatro, oficinas voltadas para as culturas pop e japonesa, arrecadação de livros, atividades pedagógicas e lúdicas direcionadas ao público infantil, entre outras ações, estão no cardápio de cultura e arte servido aos visitantes do estande da…

O procurador do Ministério Público do Trabalho Sandoval Alves da Silva tomou posse na chefia da Procuradoria Regional do Trabalho da 8ª Região para o biênio de 2021-2023 enfatizando o papel decisivo do MPT na garantia dos direitos humanos. O…

Prevaleceu o bom senso e o cuidado com as pessoas. O prefeito Edmilson Rodrigues ouviu o secretário municipal de Saúde, Maurício Bezerra, e técnicos responsáveis pela vacinação e enfrentamento à Covid-19, e cancelou os desfiles das escolas de samba, blocos…

Começou hoje (27) às 8h e segue até às 17h a votação nas prévias do PSDB para escolher seu candidato à Presidência da República. O resultado, se tudo correr bem, deve ser anunciado às 20h. O partido passou a semana…

Justiça Federal condena Caixa por não entrega de imóveis

Vejam só este precedente aberto pela Justiça Federal  do Pará: a Caixa Econômica Federal foi condenada a pagar aluguéis para famílias prejudicadas pela falta de entrega dos imóveis de um residencial em Ananindeua, na região metropolitana de Belém. O banco foi considerado culpado por não ter alertado a seguradora do empreendimento sobre riscos de atraso ou não entrega da obra.
A sentença, da juíza Hind Kayath, beneficia 120 famílias que financiaram pela Caixa unidades do residencial Apoena, a maioria por meio do programa Minha Casa Minha Vida.
Os aluguéis a serem pagos pelo banco devem corresponder a 0,7% do valor do imóvel financiado. A Caixa também terá que pagar outras despesas que os mutuários comprovadamente tenham tido por causa da não entrega dos imóveis.
A ação que deu origem ao processo judicial foi proposta há um ano, pelo procurador da República Bruno Valente, do Ministério Público Federal, que além de procurador regional eleitoral atua na defesa dos direitos do consumidor.
Da decisão cabe recurso. O processo nº 0015497-04.2015.4.01.3900 tramita perante a 2ª Vara Federal em Belém. 

Confiram aqui a íntegra da sentença. Façam aqui o acompanhamento processual.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *