Desde sua origem, Marabá (PA) sofre anualmente enchentes dos rios Tocantins e Itacaiúnas e a população que reside em áreas de risco fica em situação de vulnerabilidade. Todos os anos a defesa civil estadual e municipal planeja, monitora e prepara…

Em noite de gala na próxima segunda-feira, 24, às 19h, no Teatro Maria Sylvia Nunes, em Belém, o governador Helder Barbalho vai lançar o 110º Campeonato Paraense de Futebol, o Parazão Banpará 2022, com transmissão ao vivo pela TV e…

Todos os órgãos de segurança estão trabalhando de forma integrada para dar suporte à população em face da destruição do pilar central e iminente desabamento do vão da ponte do Outeiro. O Centro Integrado de Comando e Controle da Segup…

O Procurador-Geral de Justiça do Estado do Pará, César Mattar Jr., recebeu em audiência o advogado Arnaldo Jordy e uma comissão integrada por Simone Pereira, da Universidade Federal do Pará; Marcelo Alves, da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e…

Juruti não paga salários mas contrata show por R$300 mil

Juruti alega dificuldades financeiras para justificar os constantes atrasos no pagamento dos salários dos servidores públicos, que causam imensos prejuízos e aflições a essas pessoas e suas famílias. Mas contratou a dupla de cantores Victor & Léo para um show no Festival das Tribos de 2016 por um cachê de R$300 mil, totalmente incompatível com as combalidas finanças municipais. A promotora de Justiça Lívia Tripac Mileo Câmara, exercendo com zelo suas funções, expediu Recomendação Administrativa à Prefeitura, para que trate de cancelar o tal show e contrate, “se for o caso, atração cultural que esteja em consonância com a realidade econômica da cidade, realocando parte dos recursos no pagamento correto do funcionalismo público municipal”. Está certíssima a representante do MPE-PA. Aplausos!

“Há outros artistas famosos que poderiam atrair grandes públicos por valores mais condizentes com a realidade financeira do Município”, reforça a promotora.
Como exemplo citou que a própria Secretaria de Finanças, em resposta às reclamações quanto ao pagamento de salários de professores, respondeu ao Ministério Público do Estado por meio de ofício que a prefeitura “encontra-se passando por problemas financeiros”. 

A contratação do show foi realizada por inexigibilidade de licitação e veiculada do Diário Oficial da União. Os princípios da moralidade e da eficiência administrativa estão em jogo, observou a atenta promotora. Dá-lhe, MP!

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *