Ontem duas famílias viveram momentos de terror, vítimas de assalto à mão armada por volta das 13 horas, durante passeio no Parque do Utinga, um dos lugares mais lindos de Belém e importante equipamento turístico parauara. Trata-se do oitavo roubo…

Em iniciativa inédita, o Fórum de Entidades em Defesa do Patrimônio Cultural Brasileiro celebra os percursos individuais e coletivos que construíram as políticas de salvaguarda do patrimônio cultural no Brasil, lançando a obra “Em Defesa do Patrimônio Cultural”, organizado por…

Neste sábado, 16, postos de saúde ficarão abertos para a vacinação com foco em menores de 15 anos. Em Belém, 11 unidades vão funcionar das 8h às 14h. A campanha da Multivacinação iniciou no dia 04 de outubro e segue…

De autoria do carnavalesco e professor Paulo Anete, o enredo para o Carnaval 2022 da Escola de Samba Grêmio Recreativo Carnavalesco e Cultural Os Colibris, de Belém do Pará, é “Zélia Amada/ Zélia de Deus/ Zélia das Artes/ Herdeira de…

Juruti não paga salários mas contrata show por R$300 mil

Juruti alega dificuldades financeiras para justificar os constantes atrasos no pagamento dos salários dos servidores públicos, que causam imensos prejuízos e aflições a essas pessoas e suas famílias. Mas contratou a dupla de cantores Victor & Léo para um show no Festival das Tribos de 2016 por um cachê de R$300 mil, totalmente incompatível com as combalidas finanças municipais. A promotora de Justiça Lívia Tripac Mileo Câmara, exercendo com zelo suas funções, expediu Recomendação Administrativa à Prefeitura, para que trate de cancelar o tal show e contrate, “se for o caso, atração cultural que esteja em consonância com a realidade econômica da cidade, realocando parte dos recursos no pagamento correto do funcionalismo público municipal”. Está certíssima a representante do MPE-PA. Aplausos!

“Há outros artistas famosos que poderiam atrair grandes públicos por valores mais condizentes com a realidade financeira do Município”, reforça a promotora.
Como exemplo citou que a própria Secretaria de Finanças, em resposta às reclamações quanto ao pagamento de salários de professores, respondeu ao Ministério Público do Estado por meio de ofício que a prefeitura “encontra-se passando por problemas financeiros”. 

A contratação do show foi realizada por inexigibilidade de licitação e veiculada do Diário Oficial da União. Os princípios da moralidade e da eficiência administrativa estão em jogo, observou a atenta promotora. Dá-lhe, MP!

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *