0
Juruti alega dificuldades financeiras para justificar os constantes atrasos no pagamento dos salários dos servidores públicos, que causam imensos prejuízos e aflições a essas pessoas e suas famílias. Mas contratou a dupla de cantores Victor & Léo para um show no Festival das Tribos de 2016 por um cachê de R$300 mil, totalmente incompatível com as combalidas finanças municipais. A promotora de Justiça Lívia Tripac Mileo Câmara, exercendo com zelo suas funções, expediu Recomendação Administrativa à Prefeitura, para que trate de cancelar o tal show e contrate, “se for o caso, atração cultural que esteja em consonância com a realidade econômica da cidade, realocando parte dos recursos no pagamento correto do funcionalismo público municipal”. Está certíssima a representante do MPE-PA. Aplausos!

“Há outros artistas famosos que poderiam atrair grandes públicos por valores mais condizentes com a realidade financeira do Município”, reforça a promotora.
Como exemplo citou que a própria Secretaria de Finanças, em resposta às reclamações quanto ao pagamento de salários de professores, respondeu ao Ministério Público do Estado por meio de ofício que a prefeitura “encontra-se passando por problemas financeiros”. 

A contratação do show foi realizada por inexigibilidade de licitação e veiculada do Diário Oficial da União. Os princípios da moralidade e da eficiência administrativa estão em jogo, observou a atenta promotora. Dá-lhe, MP!
Franssinete Florenzano
Jornalista e advogada, membro da Academia Paraense de Jornalismo, da Academia Paraense de Letras, do Instituto Histórico e Geográfico do Pará, da Associação Brasileira de Jornalistas de Turismo e do Instituto Histórico e Geográfico do Tapajós, editora geral do portal Uruá-Tapera e consultora da Alepa. Filiada ao Sinjor Pará, à Fenaj e à Fij.

Nova ação contra ex-superintendente do Incra

Anterior

Ex-prefeito de Monte Alegre com bens bloqueados

Próximo

Você pode gostar

Comentários