Em iniciativa inédita, o Fórum de Entidades em Defesa do Patrimônio Cultural Brasileiro celebra os percursos individuais e coletivos que construíram as políticas de salvaguarda do patrimônio cultural no Brasil, lançando a obra “Em Defesa do Patrimônio Cultural”, organizado por…

Neste sábado, 16, postos de saúde ficarão abertos para a vacinação com foco em menores de 15 anos. Em Belém, 11 unidades vão funcionar das 8h às 14h. A campanha da Multivacinação iniciou no dia 04 de outubro e segue…

De autoria do carnavalesco e professor Paulo Anete, o enredo para o Carnaval 2022 da Escola de Samba Grêmio Recreativo Carnavalesco e Cultural Os Colibris, de Belém do Pará, é “Zélia Amada/ Zélia de Deus/ Zélia das Artes/ Herdeira de…

Batizada de sagui-de-Schneider (Mico schneideri), em homenagem ao pesquisador brasileiro Horácio Schneider (1948-2018), geneticista da Universidade Federal do Pará e pioneiro da filogenética molecular de primatas, a descoberta alvoroçou a comunidade científica internacional. A nova espécie de sagui amazônico do…

Jatene inaugurou comitê

A inauguração do comitê político do governador recandidato Simão Jatene, agora à noite, em Belém, na Av. Nazaré, no chamado Largo do Redondo, quase esquina com Quintino Bocaiúva, tumultuou o trânsito na área. O guincho da Semob ficou a postos para remover quem estacionasse em área proibida. Lá dentro, deputados, prefeitos, vereadores e secretários de Estado se espremiam em meio à militância. Por causa do grande número e do tempo curto, os candidatos faziam discursos no estilo Enéas: diziam seus nomes e números, e pediam o voto para Jatene. Mas o ex-governador Carlos Santos, a quem foi concedida especial deferência, além de se estender na sua fala, deu o microfone a seu filho Sílvio, que o usou por um tempo bem superior aos demais candidatos, e o devolveu ao pai, ao invés de entregar ao mestre de cerimônia. Carlos Santos continuou a falar, sem perceber o constrangimento geral, por conta da necessidade de cumprir o roteiro até no máximo às 22h, horário permitido para eventos do tipo. Até o governador, agoniado, olhava o relógio.

A prefeita de Abaeté, Francineti Carvalho, aniversariante do dia – vejam só! – faz 45 anos. Os prefeitos de Belém, Zenaldo Coutinho, e de Ananindeua, Manoel Pioneiro, em discursos vibrantes, prometeram andar de seca a meca atrás de votos para Jatene. Os demais prefeitos não tiveram tempo de falar, e apenas foram chamados para ir à frente do palco, onde eram cumprimentados por Jatene. Valmir Mariano, de Parauapebas, ficou o tempo todo ao lado do governador.

Na hora de o vice-governador Helenilson Pontes(PSD) falar, em consideração ao senador Mário Couto(PSDB), que estava presente, preferiu não pedir votos para si. Em um pronunciamento eloquente, creditou a Jatene tudo o que aprendeu nos últimos anos em política, inclusive que o Pará é maior do que os partidos e os políticos.

Já o senador Mário Couto começou o seu discurso alfinetando a ausência de fogos de artifício (Helenilson teve que ficar alguns minutos esperando o foguetório acabar para começar a falar). Lembrou que não são apenas os dois candidatos ao Senado pela coligação governista e fez questão de ler os nomes da vereadora Marcela Tolentino(SDD), Duciomar Costa(PTB) e Jefferson Lima(PP), ausentes. 

Jatene garantiu que não vai baixar o nível da campanha, e pediu que comparem os feitos de seu grupo com os do grupo adversário, como melhor forma de escolha em quem votar. E encerrou entoando com todos o Hino do Pará.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *