Embora o Quartel Tiradentes esteja localizado no coração do bairro do Reduto, sediando o 2º BPM e duas Companhias da Polícia Militar do Pará, os meliantes parecem desafiar abertamente os policiais. Os assaltos no bairro continuam muito frequentes, principalmente no…

Douglas da Costa Rodrigues Junior, estudante de Letras - Língua Portuguesa da Universidade Federal do Pará e bolsista do Museu Paraense Emílio Goeldi, ganhou a 18ª edição do Prêmio Destaque na Iniciação Científica e Tecnológica na área de Ciências Humanas…

O Ministério Público do Trabalho PA-AP abrirá na segunda-feira inscrições para Estágio de Nível Superior. A seleção será destinada ao preenchimento de vagas e formação do quadro de reserva de estagiários dos cursos de Administração/Gestão Pública, Biblioteconomia, Direito, Jornalismo, Publicidade/Propaganda…

Hoje, dia 23 de julho de 2021 às 19h, o Instituto Histórico e Geográfico do Pará realizada a nona “Live em Memória” da programação alusiva aos 121 anos do Silogeu, desta vez em homenagem ao centenário de nascimento do Almirante…

Insegurança em Marudá

FOTO: CRISTINO MARTINS
A praia de Marudá, distrito de Marapanim, é um dos destinos turísticos com maior visibilidade no Pará. Durante os feriadões, costuma receber milhares de turistas. Mas o lugar está com várias casas arrombadas e assaltadas por meliantes conhecidos pela Polícia Militar e Polícia Civil. 

O promotor de justiça Waldir Macieira Filho contou ao blog que foi passar com sua família o feriado de carnaval por lá mas desistiu e já retornou a Belém, indignado e preocupado com a segurança das famílias que lá residem e dos visitantes, pelo que classificou de “total inércia e omissão das autoridades locais”. Muita gente também fez o caminho de volta, para não expor os familiares ao risco. Esta semana outras famílias que têm casa em Marapanim e Marudá, quando chegaram para o Carnaval, foram surpreendidas com as casas assaltadas e depredadas. 

O promotor relatou que o próprio capitão que comanda o destacamento da PM local sabe até o nome do chefe da quadrilha, mas diz que não tem condições de prender o bando. Waldyr Macieira ligou para a chefe de gabinete do delegado geral Rilmar Firmino, Vera Loureiro, e para o coronel PM José Vicente Braga da Silva,  chefe do gabinete militar do Ministério Público do Estado, pedindo providências, mas até agora não obteve retorno. 

Considerando que o feriadão está apenas começando, urge que a Segup tome as medidas que se impõem a fim de proteger a população. 

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *