Começou hoje (27) às 8h e segue até às 17h a votação nas prévias do PSDB para escolher seu candidato à Presidência da República. O resultado, se tudo correr bem, deve ser anunciado às 20h. O partido passou a semana…

Em uma aula prática da Faculdade de Medicina da Unifamaz, ontem, o professor Marcus Vinícius Henriques de Brito, visivelmente impaciente com a aluna que deveria demonstrar intubação em um boneco, questionou a falta de lubrificação prévia do paciente, ao que…

Na quarta-feira passada, dia 24, a audiência pública na Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara Federal, em Brasília, era para discutir a gravíssima situação na Terra Indígena Yanomami, mas o clima de enfrentamento entre bolsonaristas e lulistas inviabilizou…

O prefeito Edmilson Rodrigues anunciou que Belém tem condições de fazer o Carnaval 2022, após reunião hoje (25) à tarde com representantes das escolas de samba e blocos carnavalescos. Ele acredita que com mais de 80% de pessoas vacinadas contra…

Fraude em família

O promotor de justiça Paulo Sérgio da
Cunha Morgado Júnior, em Ação Civil pública, requereu o afastamento do prefeito
de Breves, José Antônio Azevedo Leão, a anulação ou suspensão do contrato firmado
com as empresas H. A. Leão Navegação Marajó – ME e Maria José Pires Santos – ME,
e a indisponibilidade dos bens dele e de todos os envolvidos, bem como a
condenação por ato de improbidade administrativa, em razão de irregularidades
na licitação para contratação de transporte aquaviário no município.
Em diligências, o
MPE constatou que as empresas são fantasmas e nem atuam no mercado de passagens
fluviais. A H. A. Leão Navegação Marajó é de Heraldo Azevedo Leão e Eline das
Graças Azevedo Leão, irmãos do prefeito de Breves. A Maria José Pires dos
Santos, que tinha um contrato de 12 meses com a prefeitura, recebia o dinheiro
e comprava as passagens da empresa da família, a “Leão Marajó”.


Ao analisar as licitações a promotoria
constatou que sequer houve lances e que só as duas apresentaram propostas, com
formatação e o corpo do texto idênticos.


Tem
mais
: a distribuidora de medicamentos de Darllen Nogueira, filha do chefe de
gabinete da Prefeitura de Breves, Higino Nogueira, venceu uma licitação de R$
15 milhões. 
Vinte empresas participam do esquema de corrupção. Nos
últimos três anos, pelo menos R$ 50 milhões já foram desviados. Empresas de
parentes do prefeito vencem quase todas as licitações e detêm todos os
contratos. Coitados dos 90 mil habitantes de Breves, pobres e historicamente
isolados no arquipélago do Marajó.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *