Governador do Pará e presidente do Consórcio de Governadores da Amazônia Legal, Helder Barbalho está com agenda intensa em Brasília, e em reunião com Lula nesta sexta-feira (27) apresentou documento proposto pelo CAL. Para o desenvolvimento regional do bioma amazônico,…

O Papa Francisco nomeou o atual bispo da prelazia de Marajó (PA), Dom Evaristo Pascoal Spengler, bispo de Roraima (RR), que estava sem titular há um ano, desde a transferência de Dom Mário Antônio da Silva para a arquidiocese de…

Utilizar o futebol como ferramenta de transformação social para crianças e adolescentes de todo o Pará é o objetivo do projeto "Futebol Formando Cidadão", que será lançado neste domingo (29) no oeste paraense. A iniciativa é do Tapajós Futebol Clube,…

No próximo sábado, 28, é o Dia Nacional de Combate ao Trabalho Escravo. Esta semana, foram divulgados dados da Secretaria de Inspeção do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) referente a 2022, quando foram resgatados 2.575 trabalhadores em condições análogas…

Estreia mundial de Tekoaku Arakuá

Nesta terça-feira (5) estreia a obra Tekoaku Arakuá, da compositora e maestrina paraense Cibelle Donza, executada pela Orquestra Sinfônica do Theatro da Paz, sob a regência do maestro norte-americano Dean Anderson, que veio a Belém especialmente para o evento. Cibelle J. Donza é atual diretora artística e maestrina da Orquestra Filarmônica MultiArte da Amazônia (Orquestra FILMA) e regente principal da Big Band Zarabatana Jazz Band, além de professora da Escola de Música da Universidade Federal do Pará.

A peça musical de Cibele Donza mistura linguagens e técnicas tradicionais e contemporâneas, criando texturas sonoras e timbres que se transformam. Daí o nome à obra, unindo duas palavras indígenas, de tronco Tupi-Guarani: “Tekoaku”, literalmente “modo de ser quente; estado de alerta”, se refere àquilo que se sente nos momentos exatos das transformações de um estado para outro; e “Arakuá”, literalmente “maturidade: fazer com que se desenvolva, que se abra, que surja”.

Cibelle já conduziu inúmeras vezes a OSTP e outras importantes orquestras brasileiras, durante festivais internacionais. Suas composições abrangem não só o tema sinfônico, mas também obras camerísticas para trios, quartetos, duos e sextetos, além de obras acusmáticas, eletroacústico-mistas e inclusive trilhas sonoras para o cinema, como a que compôs para o filme longa-metragem “3 Marias”, de Gabriella Florenzano, que está em fase de pós produção.

O maestro Dean Anderson escolheu peças francesas para compor o repertório do concerto, uma da primeira metade do século XIX e a outra da primeira metade do século XX. “La Mer”, de Claude Debussy, e “Sinfonia Fantástica Opus 14”, de Hector Berlioz. Dean Anderson é doutor em Artes Musicais pela UCLA, estudou regência, violino e, recentemente, completou uma residência como Maestro Visitante na Saarländiches Staatsoper, uma companhia de ópera profissional em Saarbrücken, na Alemanha. Versátil, seu repertório abarca desde as mais populares obras de Beethoven e Brahms até composições contemporâneas de diferentes nacionalidades.

A apresentação será a partir das 20h, no Theatro da Paz, com ingressos a R$2, disponíveis na bilheteria a partir das 9h. O espetáculo é uma realização do Governo do Pará, via Secult, Theatro da Paz e Academia Paraense de Música.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *