0

A intérprete criadora paraense Socorro Lima apresenta “Zoom: espetáculo-instalação em dança”, criado e protagonizado por ela especialmente para pessoas com baixa visão, neste sábado, 25, às 19h, no Espaço Cultural Fonte do Caranã em Salinópolis e no próximo dia 3, às 18h e às 19h30, no Espaço das Artes de Belém (Trav. Tiradentes, n° 35, bairro do Reduto). Deficiente visual congênita, Socorro Lima concebeu a montagem inspirada em tecnologias assistivas, trazendo para o palco a acessibilidade como princípio, transitando entre a apresentação coreográfica e a instalação sensorial.

Premiado pela Fundação Cultural do Pará, “Zoom” já teve apresentação no Sesc Castanhal, no último dia 18. A artista diz que o objetivo principal é “alcançar pessoas com e sem deficiência e compartilhar pela arte minha vivência enquanto artista da dança com baixa visão”. Socorro explica ainda que “Zoom” nasceu a partir do projeto “Tap zoom”, selecionado em 2021 pelo edital Itaú Cultural chamado “Entre arte e acesso”, apresentado na sede do Instituto, em São Paulo. “Fui uma das selecionadas e criei uma proposta coreográfica inspirada nos jogos eletrônicos que jogava na infância, porém toda concepção poética e metodológica parte da minha vivência enquanto artista da dança com baixa visão”, conta.

“Zoom: espetáculo-instalação em dança” chega então como um projeto de continuidade, em que o processo coreográfico pretende ressignificar a percepção acerca das pessoas com deficiência visual, apresentando possibilidades de criação e autonomia a partir da dança. Além disso, também intenciona abrir espaço de representatividade e autonomia para pessoas com deficiência visual, a fim de que percebam ser possível criar em dança sendo uma pessoa com deficiência visual.

“Sou uma pessoa com deficiência visual e todo meu processo de criação parte disso, assim o público é convidado a adentrar no universo da pessoa com deficiência a partir da dança, vivenciando também espaços sensoriais, pensados para pessoas com e sem deficiência”, diz a artista. Por isso, segundo ela, a acessibilidade é princípio de base e não apenas um recurso. “A relevância deste projeto se dá na possibilidade de autonomia, representatividade e protagonismo da artista da dança com deficiência visual e na contribuição para criação em dança paraense efetivamente inclusiva”, pontua. Socorro Lima iniciou em 2007 sua carreira como intérprete-criadora no Grupo de Dança Passos para a Luz, hoje Cia de Dança Corpus Sensorialis”. Todas as apresentações são gratuitas, sem necessidade de retirada de ingresso.

Salomão Habib na Igreja de Santo Alexandre

Anterior

Quilombolas de Oriximiná têm certificação da copaíba

Próximo

Vocë pode gostar

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *