O procurador do Ministério Público do Trabalho Sandoval Alves da Silva tomou posse na chefia da Procuradoria Regional do Trabalho da 8ª Região para o biênio de 2021-2023 enfatizando o papel decisivo do MPT na garantia dos direitos humanos. O…

Prevaleceu o bom senso e o cuidado com as pessoas. O prefeito Edmilson Rodrigues ouviu o secretário municipal de Saúde, Maurício Bezerra, e técnicos responsáveis pela vacinação e enfrentamento à Covid-19, e cancelou os desfiles das escolas de samba, blocos…

Começou hoje (27) às 8h e segue até às 17h a votação nas prévias do PSDB para escolher seu candidato à Presidência da República. O resultado, se tudo correr bem, deve ser anunciado às 20h. O partido passou a semana…

Em uma aula prática da Faculdade de Medicina da Unifamaz, ontem, o professor Marcus Vinícius Henriques de Brito, visivelmente impaciente com a aluna que deveria demonstrar intubação em um boneco, questionou a falta de lubrificação prévia do paciente, ao que…

Empreiteiras falidas e calamidade na BR-230

Apesar
dos 40 anos de estudos e debates para a construção da UHE-Belo Monte, problemas
de infraestrutura que já deveriam ter sido resolvidos há décadas continuam a
atormentar quem vive ou trabalha na região. Uma única balsa faz a travessia no rio
Xingu, o que causa enorme congestionamento. A ponte sobre o rio Anapu está literalmente
caindo aos pedaços, com risco de morte aos usuários. No trecho de Rurópolis a
Itupiranga a elaboração dos projetos técnicos para pontes em concreto andam a
passos de cágado. E depois as obras terão, é claro, que ser licitadas.
Na
BR-230, a Transamazônica, a situação é de calamidade, ainda mais pelo estrago
das chuvas. Para piorar a situação, as obras pararam porque as empreiteiras faliram (!). No trecho Altamira-Medicilândia,
a falida Semenge teve o contrato rescindido pelo Dnit, que chamou a segunda
colocada no processo de licitação, a Santhes Tripoloni. No lote
Medicilândia-Rurópolis, os projetos técnicos estão aprovados mas até agora não licitados.
Retirada da empresa contratada para a obra também paralisou os trabalhos de
Rurópolis (Km 30) a Itaituba e uma nova licitação ainda terá que ser providenciada.
O mesmo acontece nos trechos dos municípios de Itupiranga a Novo Repartimento e
Pacajá.
A
construtora EIT construiu as pontes de concreto na BR-163, a Santarém/Cuiabá) mas
não concluiu o encabeçamento, porque também faliu. O Dnit ainda está tentando
encontrar uma solução para concluir as obras.
O projeto
executivo que está sendo elaborado pelo 8º Batalhão de Engenharia e Construção
para o asfaltamento do trecho urbano da BR- 163 em Santarém está na base do ninguém sabe, ninguém viu.
Para
a sonhada duplicação da BR-163 nos perímetros urbanos dos municípios, o Dnit
trabalha a possibilidade de financiar a execução nos distritos de Castelo dos
Sonhos (Altamira), Morais de Almeida (Itaituba) e Caracol (Trairão). Para os
demais municípios sugeriu que o Pará procure o Ministério das Cidades.
O
asfaltamento da BR-422 depende da bancada federal conseguir emenda parlamentar ou
sua inclusão no PAC – onde já figurou e foi retirado. 

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *