Governador do Pará e presidente do Consórcio de Governadores da Amazônia Legal, Helder Barbalho está com agenda intensa em Brasília, e em reunião com Lula nesta sexta-feira (27) apresentou documento proposto pelo CAL. Para o desenvolvimento regional do bioma amazônico,…

O Papa Francisco nomeou o atual bispo da prelazia de Marajó (PA), Dom Evaristo Pascoal Spengler, bispo de Roraima (RR), que estava sem titular há um ano, desde a transferência de Dom Mário Antônio da Silva para a arquidiocese de…

Utilizar o futebol como ferramenta de transformação social para crianças e adolescentes de todo o Pará é o objetivo do projeto "Futebol Formando Cidadão", que será lançado neste domingo (29) no oeste paraense. A iniciativa é do Tapajós Futebol Clube,…

No próximo sábado, 28, é o Dia Nacional de Combate ao Trabalho Escravo. Esta semana, foram divulgados dados da Secretaria de Inspeção do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) referente a 2022, quando foram resgatados 2.575 trabalhadores em condições análogas…

Editora Dalcídio Jurandir da Ioepa lança sonhos

Uma das medidas mais acertadas do presidente da Imprensa Oficial do Estado do Pará, Jorge Panzera, foi a criação da Editora Pública Dalcídio Jurandir, que vem abrindo portas e dando visibilidade a talentosos poetas e escritores parauaras do interior. A entrega do Prêmio Dalcidio Jurandir, durante a Feira Pan-Amazônica do Livro, foi de pura emoção. O escritor, porta e músico Marcos Samuel Costa da Conceição, marajoara de Ponta de Pedras, autor do premiado livro de contos “O Cheiro dos Homens”, filho, neto e bisneto de pescadores, sintetizou o sentimento geral: “Acho que a última vez que senti tanta emoção assim foi quando passei na UFPA. Por um segundo lembrei de todo o percurso e desafios em que envolvem a tentativa de ser escritor. Não é um prêmio apenas para o livro que escrevi, eu o recebo como um prêmio para todos os meus ancestrais que foram silenciados e que não puderam aprender a ler e nem escrever, por meu pai que morreu analfabeto mas teve um filho poeta. A literatura é um jogo de poder, e queremos quebrar muitas barreiras”.

Foram premiados 14 autores de 11 livros, sendo 10 em prosa e uma coletânea de poesias, com quatro poetas. Os livros e seus respectivos autores são:

Categoria Prosa: Taion Rehm Costs de Almeida (região Araguaia), “Pedra Preciosa – Ou a incrível aventura que o garoto Heliodoro…”; Francisco Egon da Conceição Pacheco (região Baixo Amazonas), “Marias e Encantarias II – Num tempo do era …”; Airton Souza de Oliveira (região Carajás), “Receita para angustiar o amor no coração da noite”; Felipe Figueiredo De Campos Ribeiro – (região Guajará), ‘Ínfimas Infâmias”; Marcos Samuel Costa da Conceição – (Marajó), “O Cheiro dos Homens”; João Pereira Loureiro Júnior (região Rio Caeté), “As Cores da Meia-Noite”; Lincoln Campos Pereira (Lincoln Campos Pranahê – região Rio Capim), “Sapinho Perereco e o Grilo Saltitante”; Franciorlys Viannza (região do Guamá), “Bicho do Mato”; João Gabriel dos Santos Brito (região Tocantins), “Pelo Caminho do Rio Envelhecido”; e Fernanda Karla Miranda Dalmam (região Xingu), “Clarice”.

Categoria Poesia: Maria de Fátima Araújo Teles (Araguaia), “O Boi Pavulagem”; Igor Barbosa Marques (Guajará), “Sem Mais, Adeus!”; Adalberto Marcos da Silva (Carajás), “Somos Terra, Somos Água, Somos Vida”; e Nathália da Costa Cruz (Guajará), “Cobaia”.

A obra “Rio em Nós”, coletânea de textos literários produzida por oito mulheres e professoras, figura no ranking das mais vendidas do estande da Ioepa.

O presidente da Ioepa, Jorge Panzera, festeja o resultado de dois anos de trajetória da Editora Pública Dalcídio Jurandir, coordenada por Moisés Alves, que cuidou da qualidade da produção e mobilizou a gráfica em curto espaço de tempo, trabalho traduzido na conquista de trinta lançamentos, além do espaço aberto a vários autores paraenses.

O livro “Pajé Zé Piranha: histórias de cura e encantaria no Marajó”, antes mesmo de ser lançado quase esgota os exemplares nas prateleiras. “Contos e Causos II: Mosqueiro e seu mundo sobrenatural, que reúne 29 contos sobre lendas e assombrações na Ilha do Mosqueiro, de autoria de Sandro Arlan, é um dos sucessos de venda e esgotou rapidamente no estande da Ioepa na Feira do Livro, assim como os lançamentos “Amazônia, História, Culturas e Identidades”, fruto de edital em parceria com a Universidade do Estado do Pará e “O Cheiro dos Homens”, de Marcos Samuel Costa.

Outros que estão entre as obras mais vendidas desde a abertura do estande são os livros “Uma breve história do quadrinho paraense”, de Vince Souza e Otoniel Oliveira, produzido em parceria com a Secult; Marias e Encantarias II, de Francisco Vera Paz; “Juventude e Educação no Pará: projetos de vida, trajetórias e gênero” e “Gêneros, corpos e sexualidades em contextos contemporâneos”, em parceria com a Uepa; “As cores da meia-noite”, de João Loureiro. O premiado autor de “Bicho do Mato”, Franciorlys Viannza, também elogia o edital da Ioepa. Em sua opinião a publicação de livros é o melhor prêmiz porque oportuniza a muitos escritores a chance de tirar sua obra da gaveta: “É muito difícil ter recursos para publicar o livro. Então, o edital da Editora Dalcídio Jurandir materializa aquilo que é um sonho do autor”.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *