Patrick Luis Cruz de Sousa, candidato a presidente do Conselho Regional de Farmácia do Pará pela Chapa 1 e atual conselheiro do CRF-PA, discursa na campanha em favor das mulheres, que representam 70% da categoria, mas no início deste ano…

A 27ª Unidade de Conservação do Estado do Pará abrange os municípios de Jacareacanga e Novo Progresso, no sudoeste paraense. O Decreto nº 1.944/2021 foi assinado pelo governador Helder Barbalho na quinta-feira, 21, e publicado ontem (22) no Diário Oficial…

O Atlas da Dívida dos Estados Brasileiros, lançado no Fórum Internacional Tributário pela Federação Nacional do Fisco Estadual e Distrital, aponta que a dívida ativa das empresas com os entes federados soma estratosféricos R$ 896,2 bilhões, significando 13,18% do PIB…

Ao abrir oficialmente o Forma Alepa/Elepa, o presidente da Assembleia Legislativa do Pará, deputado Chicão, destacou a importância do trabalho que vem sendo executado pela Escola do Legislativo, treinando, qualificando e atualizando gestores, vereadores e servidores públicos, que dessa forma…

Dois casos de presos com final feliz

O defensor público do Estado do Pará Bruno Braga arguiu o princípio da insignificância e assim conseguiu a absolvição sumária de O.R.T.T.J, acusado de furtar uma saca com 50 pacotes de leite em um supermercado da região metropolitana de Belém. Como o produto foi prontamente devolvido, o defensor alegou que não houve violência, grave ameaça ou adulteração da mercadoria, além do que foi feita a restituição integral. 

Recentemente, no primeiro dia de atendimento ao público após o recesso, sem prévio agendamento, um senhor procurou Bruno Braga na Defensoria. Disse que teve o melhor Natal dos últimos anos, porque conseguiu reunir toda a família, e queria agradecer por todo o empenho e informar que seu filho voltara a trabalhar e que todos na família estão muito felizes. “_Posso lhe dar um abraço?”, pediu, lacrimejando, o velho e sofrido senhor, verdadeiro guerreiro na luta pelo seu filho que esteve preso nos últimos meses de 2016, acusado de furto. Sem maus antecedentes, réu primário e com residência fixa, o pai procurou a Defensoria já a três dias do recesso, com os documentos de praxe para requerer a revogação de preventiva, implorando para que pudesse ajudá-lo a ter a oportunidade de passar o Natal com seu filho em casa. Bruno Braga peticionou de imediato e diligenciou para que o pedido tramitasse com brevidade, e em 19 de dezembro foi concedida a liberdade provisória. 

Desnecessário dizer da emoção do defensor público face ao testemunho do pobre pai. São histórias dramáticas como essas que impulsionam aqueles de fato comprometidos em resgatar a cidadania. Parabéns a todos quantos travam esse bom combate!

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *