Começou hoje (27) às 8h e segue até às 17h a votação nas prévias do PSDB para escolher seu candidato à Presidência da República. O resultado, se tudo correr bem, deve ser anunciado às 20h. O partido passou a semana…

Em uma aula prática da Faculdade de Medicina da Unifamaz, ontem, o professor Marcus Vinícius Henriques de Brito, visivelmente impaciente com a aluna que deveria demonstrar intubação em um boneco, questionou a falta de lubrificação prévia do paciente, ao que…

Na quarta-feira passada, dia 24, a audiência pública na Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara Federal, em Brasília, era para discutir a gravíssima situação na Terra Indígena Yanomami, mas o clima de enfrentamento entre bolsonaristas e lulistas inviabilizou…

O prefeito Edmilson Rodrigues anunciou que Belém tem condições de fazer o Carnaval 2022, após reunião hoje (25) à tarde com representantes das escolas de samba e blocos carnavalescos. Ele acredita que com mais de 80% de pessoas vacinadas contra…

Dia Internacional da Verdade

 

                            

Fotos Ozeas Silva

Fotos Wildes Lima
Foto Rodrigo Sávio

Hoje é o Dia
Internacional para o Direito à Verdade sobre Violações Graves de Direitos
Humanos e para a Dignidade das Vítimas,
criado pela ONU para homenagear o arcebispo Óscar Romero,
assassinado no dia 24 de março de 1980 por se recusar a ficar em silêncio
perante a violência, os abusos e a injustiça, em El Salvador.
A Comissão da
Verdade dos Jornalistas do Pará
enfatiza a necessidade de preservar e descobrir a verdade
sobre as violações de direitos cometidas durante o período de 1964 a 1985 no
Brasil. Negar às vítimas de perseguição este conhecimento básico é negar a
justiça, a dignidade, o reconhecimento e o ressarcimento dos seus sofrimentos e
perdas.
As consequências
são sentidas para além das pessoas diretamente afetadas pelos abusos. O direito
à verdade e à justiça são indispensáveis para acabar com a impunidade. No caso
de desaparecimentos, as famílias têm o direito de saber qual o destino de seus
entes queridos. Em todos os casos, respeitar estes direitos serve como
advertência de que tais violações não podem jamais se repetir.
A primeira audiência pública da
Comissão da Verdade dos Jornalistas do Pará é um marco de um novo tempo em que finalmente as
vítimas da ditadura terão voz e suas palavras ecoarão na História.  Nunca é demais reiterar que este é um trabalho voluntário de todos os integrantes da Comissão, que não é ligada a qualquer partido ou facção política, e conta com o apoio institucional da OAB-PA e da Assembleia Legislativa do Estado do Pará.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *