Brega no Pará é coisa séria. Tem Brega Pop, Brega Calypso, Brega Marcante, Brega Saudade, Tecnobrega, Melody, Tecnomelody … Verdadeiro hino (música oficial dos 400 anos de Belém), não há quem desconheça o clássico Ao Por do Sol, eternizado na…

Uma reunião no Ministério Público do Estado do Pará colocou em pauta a situação caótica da Unidade de Conservação Estadual Área de Proteção Ambiental da Ilha do Combu, onde proliferam construções e empreendimentos comerciais irregulares, transporte fluvial desordenado, festas e…

O juiz federal Henrique Jorge Dantas da Cruz condenou a União e o Estado do Pará à obrigação de fornecer Cerliponase Alfa (Brineura®) a uma criancinha de quatro anos durante todo o período de tratamento, sem interrupção. O remédio deverá…

A Comissão de Fiscalização Financeira e Orçamentária da Assembleia Legislativa aprovou à unanimidade, hoje (15), as contas do governador Helder Barbalho relativas ao exercício de 2020. Conforme o relatório do presidente da CFFO, deputado Igor Normando (MDB), a receita bruta…

Design luso-brasileiro sustentável

Nasci em Lisboa e cheguei a Belém década de 60. Costumo dizer que sou portuguesa de “alma paraense”. Minha trajetória profissional e a riqueza de meu acervo de joias, acessórios de moda e pinturas confirmam meu talento e a minha capacidade de empreendedora. Meu sucesso de quase quatro décadas de criação iniciou entre pinceis, exposições individuais e coletivas, realizadas no Brasil e em Portugal.

Das artes plásticas fui para a moda e o design de joias movida pela paixão amazônica e lusitana, a temática é regional é constante em meu trabalho. Com minha marca, que leva meu nome, as coleções podem ser vistas na produção artesanal, identificada pela sustentabilidade. São peças confeccionadas em coador de café de papel e cortiça, matéria-prima sustentável, agregando valor ao produto final, com exclusividade e elegância. A partir das temáticas de reciclagem, chegaram até à Melitta e veio o convite para participar do “Desafio Brasilleria Eu Amo Arte Melitta” em São Paulo, a fim de repassar meus conhecimentos aos alunos da Faculdade de Belas Artes de São Paulo, pelas experiências com o coador de café reaproveitado com estampa, carro-chefe das bolsas. Mas o sucesso não chegou só à Melitta, também foram mostradas nas novelas da Globo e na Vogue do Brasil, pelo olhar de Daniela Falcão. Com minhas peças espero continuar mostrando criações no ritmo das artes, no mundo de formas, cores e brilhos.

As bolsas Celeste Heitmann já conquistaram reconhecimento no mercado do luxo, tornando-se assunto  de um editorial de moda, assinado pela equipe da São  Paulo Fashion Week. Essa visibilidade recompensa todas as etapas do trabalho de criação de uma bolsa exclusiva. Afinal, não é só desenhar e organizar materiais, elas contam uma história. A definição do tema é seguida pela transformação da ideia em painéis de inspiração com imagens, e delas retiro palavras-chave que nortearão o processo de criação. Feito isso, é dar asas à imaginação para desenhar a coleção.

Uma das coleções cápsula que muito me emocionou foi uma homenagem à minha mãe: “A poesia da Criação”, em coador de café reaproveitado com estampa de uma receita escrita à mão por minha mãezinha. Com acabamento de uma colherzinha de antiquário e pérola barroca.

As bolsas também têm sido vistas por diversas vezes no FashionTV,  um dos mais importantes canais de moda, presente em mais de cem países.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *