O delegado de polícia de Oriximiná, Edmílson Faro, prendeu o vigia Ailton Ferreira da Silva a pedido do presidente da Câmara Municipal, vereador Marcelo Andrade Sarubi (PSDB) e do vereador Márcio Canto (PTB) e, na presença de ambos e do…

Primeira do Brasil totalmente focada na educação para o trânsito, a biblioteca do Detran-PA foi criada em 1998 e começou direcionada ao público interno, funcionando no antigo prédio do órgão, ao lado da Ceasa. Em 1º de novembro de 1999,…

A Prefeitura de Belém vai revitalizar dezesseis imóveis do município que estão há anos em situação de abandono. Além do resgate do patrimônio histórico, artístico e cultural, a intenção é reduzir gastos com aluguéis de prédios que abrigam órgãos municipais.…

A empresa de ônibus Belém-Rio, que faz a linha para o distrito de Outeiro – Ilha de Caratateua, em Belém, aparentemente está falida e reduziu pela metade a sua frota, causando enorme sofrimento aos usuários do transporte coletivo. O serviço,…

Helena Bezerra

O Design de Joias no Pará

A função do designer sempre foi desenvolver produtos e serviços que satisfaçam as necessidades de seus clientes. As necessidades se apresentam de origem funcional, estética ou simbólica. Nesse sentido, a produção de joias se encontra em um fenômeno de comunicação em que o indivíduo que a utiliza irá suprir a necessidade pessoal de se adornar, e através do adorno, falar sobre si, sobre seu ambiente, sua identidade, atendendo assim as referentes funções.

A produção de joias no Pará retrata bem esse contexto. Inicialmente surgida de forma descentralizada e sem uma identidade própria, começa a adquirir traços da estética amazônica propriamente dita no fim do século XX. E nesse período surgem criadores que aderem à ideia de contribuir para a construção da joia amazônica como fenômeno, através de seus elementos inspiradores, materiais e modos de fazer.

Criar joias no Pará é embarcar numa viagem geográfica através das referências presentes na rica natureza amazônica, além de uma viagem histórica, na busca das raízes culturais que se construíram no decorrer do tempo pela relação do homem com a natureza. Também é se deixar afetar pelas multiformes manifestações culturais originadas de diversas fontes étnicas que marcam a identidade do povo paraense, mistura que caracteriza a essência do hibridismo dessa cultura.

Tão rica essa fonte iconográfica para a construção de uma identidade, que não se pode deixar de se utilizar não somente os elementos estéticos que ela constituem, como também seus insumos ou mesmo desenvolver técnicas de produzir artefatos através dos mesmos. Nesse quesito, o trabalho de criação humana tem papel importante não somente na identificação de potenciais materiais, como também na aproximação com os mesmos, definindo formas de manipular e beneficiar, com o objetivo de conceber produtos que atendam de forma satisfatória as exigências mercadológicas da atualidade.

O design entra como instrumento mediador entre o natural e o artefato; entre o criador, empreendedor e o artesão; entre o local e o global. O desenvolvimento de projetos com consciência ambiental colabora com o cuidado na utilização de fontes naturais e seus respectivos impactos no meio ambiente, as referências de qualidade mundial do setor contribuem na construção de valor para as joias locais; o direcionamento de etapas para cada um dos profissionais envolvidos na produção da joia, otimiza o trabalho e traz a complexidade de produzir joias como agregador de valor econômico e de trabalho humano para os artefatos finais.

Na cultura paraense, se sente a necessidade de se auto-afirmar em relação às demais, de buscar enaltecer e expressar sua unicidade. É na busca de atender essa função, de servir como difusor dessa estética e de fortalecer o simbolismo do ser regional que as joias do Pará se justificam como grandes instrumentos portadores de mensagens, produtos de design com relevância local e mundial.

 

Helena Bezerra é Especialista em Gestão do Produto de Moda e Vestuário e graduada em Design de Moda. Trabalha no setor de joias há 20 anos. É empresária e designer da HB Design e integrante do programa de incentivo produtivo do Instituto de Gemas e Joias da Amazônia há 15 anos, desenvolvendo coleções autorais com inspiração na cultura paraense e em parceria com outros criadores. Primeira mulher ourives do Polo Joalheiro do Pará, seu diferencial são os estudos baseados na técnica de incrustação paraense e  a técnica de esmaltação translúcida a frio que desenvolveu.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

0 resposta em “Helena Bezerra”