1

A Prefeitura de Belém prorrogou o prazo para a adesão ao Programa de Regularização Incentivada 2022. A partir de agora, os contribuintes da capital parauara têm até o dia 30 de setembro para quitar débitos com o município, que oferece desconto de até 90% sobre juros e multa, com possibilidade de parcelar o pagamento em até 50 vezes. A boa taxa de adesão ao PRI demonstrou o interesse do belenense em regularizar as contas perante o fisco municipal e voltar à adimplência. Desde julho, quando o programa entrou em vigor, 14.756 pessoas negociaram mais de 64 milhões de reais com o município.

A prorrogação do PRI está sendo possível em razão do incremento da arrecadação, uma vez que só a partir dela as políticas públicas necessárias para a cidade podem ser implementadas, explica o prefeito Edmilson Rodrigues.  As formas facilitadas de pagamento abrangem débitos de IPTU, ISS-PF, ISS-PJ, TLPL e débitos não tributários, ajuizados ou não.

Os descontos são escalonados, variando de 90% sobre juros e multas, parcelado de uma a três vezes, e desconto de até 10% para quem quitar o débito em até 50 vezes. Para débitos de IPTU, por exemplo, o desconto vai de 10% a 80%. Isso porque os 90% de desconto em juros e multa deste tributo estão condicionados à adesão ao Recadastramento Imobiliário Incentivado. O programa, que está em vigor até 31 de dezembro, consiste em uma atualização cadastral, em que o cidadão informa dados simples relativos ao imóvel, à localização e ao proprietário. Neste caso, o pagamento pode ser parcelado em até cinco vezes.

Para aderir ao PRI, basta acessar o site da Sefin, clicar no banner digital, localizado na página principal do site, selecionar o tributo que será objeto da negociação e informar o número da inscrição municipal. A adesão ao Programa de Recadastramento Imobiliário também é realizada pelo mesmo endereço eletrônico.

33 anos depois, TRF1 faz justiça a trabalhador rural do Pará

Anterior

Considerações em torno do IV Encontro da Igreja Católica na Amazônia Legal

Próximo

Vocë pode gostar

Mais de Notícias

1 Comentário

  1. Uma ação de mão dupla, bom para o cidadão que pode ensejar novas aspirações e bom para o município que pode tocas as políticas públicas com maior capacidade financeira.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *