Para marcar os quinze anos de criação das Florestas Estaduais de Faro, Trombetas e Paru, da Estação Ecológica Grão-Pará e da Reserva Biológica Maicuru, na Calha Norte, hoje (4), o Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia (Imazon) lançou…

Lançamentos literários, apresentações de teatro, oficinas voltadas para as culturas pop e japonesa, arrecadação de livros, atividades pedagógicas e lúdicas direcionadas ao público infantil, entre outras ações, estão no cardápio de cultura e arte servido aos visitantes do estande da…

O procurador do Ministério Público do Trabalho Sandoval Alves da Silva tomou posse na chefia da Procuradoria Regional do Trabalho da 8ª Região para o biênio de 2021-2023 enfatizando o papel decisivo do MPT na garantia dos direitos humanos. O…

Prevaleceu o bom senso e o cuidado com as pessoas. O prefeito Edmilson Rodrigues ouviu o secretário municipal de Saúde, Maurício Bezerra, e técnicos responsáveis pela vacinação e enfrentamento à Covid-19, e cancelou os desfiles das escolas de samba, blocos…

Cultura tapajoara

FOTO: TAMARA SARÉ

O
livro “Aritapera: Terra, Água, Mulheres
& Cuias
”, organizado pelos antropólogos Antônio Maria de Souza Santos,
do Museu Paraense Emílio Goeldi, e Luciana Gonçalves de Carvalho, da UFOPA, é o
primeiro volume da coleção “Mapeamento Cultural do Pólo Tapajós”. A coleção versa
sobre manifestações artístico-culturais dos municípios de Santarém, Belterra e
Oriximiná, pelo Programa Nacional de Desenvolvimento do Turismo no Estado do
Pará (Prodetur).
Aritapera” aborda a importância da utilização das cuias ornamentais
no universo amazônico e como elas estão inseridas no cotidiano das comunidades
ribeirinhas, com enfoque no distrito de Aritapera, situada na área de várzea do
rio Amazonas, distante cerca de 4 horas de barco de Santarém. O trabalho na
comunidade envolve cerca de 200 famílias, inseridas na Associação das Artesãs
Ribeirinhas de Santarém, criada em 2003 para aprimorar a produção e a
comercialização das cuias, valorizando os conhecimentos artesanais da região.
A obra é resultado de
uma pesquisa iniciada em 1977, e trata do artesanato de cuias em aspectos como
modos de fazer, iconografia, importância econômica e cartografia, além de
abordar histórias de vida de artesãs e experiências de intervenção e
organização da produção e comercialização, entre outros temas. 

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *