Vanete Oliveira, 28 anos, mãe de cinco filhos, vive em Portel, município do arquipélago do Marajó(PA). Ela sofre há catorze anos dores atrozes além do desconforto, trauma e todo tipo de dor física e psicológica, por conta de um tumor…

As Diretorias de Combate à Corrupção e de Polícia do Interior da Polícia Civil do Pará prenderam hoje (28), no Distrito Federal, durante a Operação "Litania”, uma falsa empresária e sócios-proprietários que utilizavam empresa de fachada como instituição financeira para…

A Secretaria de Estado da Fazenda do Pará publicou extrato de dispensa de licitação para contratar a Prodepa, por R$800.427,88, a fim de desenvolver novo site da Transparência do Governo do Pará, com criação de nova arquitetura de informação, navegação…

Andar de motocicleta proporciona histórias, experiências e adrenalina. Motos oferecem facilidade de locomoção rápida e de conseguir estacionamento. Mas a liberdade é, sem dúvida, o motivo número 1 de todo motociclista. Sentir o vento, o clima, fazer parte da paisagem. Este é…

Crianças em condições degradantes

Em 2013, o grupo especial de fiscalização móvel do Ministério do Trabalho e Emprego flagrou 29 pessoas em condições semelhantes às de escravos em Medicilândia(PA). Doze delas tinham entre 5 e 16 anos e três eram adolescentes menores de 18 anos e trabalhavam no manuseio e colheita do cacau. Usavam facões, podões e outros instrumentos cortantes, e eram obrigados diariamente a  movimentos repetitivos e a carregar cargas superiores a 30 quilos. Além das condições degradantes eram impedidos de sair do lugar e não tinham direitos trabalhistas. Agora, um comerciante e um agricultor foram denunciados pelo MPF pela prática.

As vítimas roçavam, faziam o desbrotamento, retirada de árvores caídas, colheita, secagem, ensacamento, adubação, aplicação de inseticidas e herbicidas, despiolhamento, poda e entrega da colheita. Não tinham acesso a água potável e a condições sanitárias mínimas, e quando propriedades vizinhas usavam agrotóxicos sofriam diarreia e dores de cabeça. 

A foto é do documentário “O lado negro do chocolate”, que pode ser assistido aqui.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *