Em reunião conjunta das Comissões de Fiscalização Financeira e Orçamentária (CFFO) e de Constituição e Justiça (CCJ) da Assembleia Legislativa, nesta segunda-feira (18) foi aprovado o projeto de lei nº 363/2021, que autoriza o Governo do Pará a contratar operação…

Não houve o célebre círio fluvial de Oriximiná no rio Trombetas este ano, por causa da pandemia, mas a imagem de Santo Antônio flanou pelas águas, levada pela comunidade de várzea do Rio Cachoeiry, que celebrou o verão depois da…

Aprender mais sobre as boas práticas Lixo Zero e como aplicá-las no dia a dia, repensando hábitos de consumo e inspirando a população a enxergar os seus resíduos com dignidade é o que propõe a programação que acontecerá entre os…

Aprovado à unanimidade pela Assembleia Legislativa, o projeto de lei nº 245/2021, de autoria do Poder Executivo, dispondo sobre a denominação do Arquivo Público do Estado do Pará, em homenagem ao jurista e professor paraense Zeno Augusto de Bastos Veloso,…

Cidadania e civilidade

Hoje, exatamente às 8 horas, acordei sobressaltada por um carro som que, em altíssimos decibéis, convocava a população para um ato público no dia do julgamento do assassino de Nirvana Evangelista. Entendo e respeito a dor da família, apóio a mobilização para que o crime não fique impune, partilho da indignação e revolta por tantas vidas de mulheres ceifadas por namorados ou maridos que se acham donos de suas parceiras. Mas é também um ato de violência submeter quem vive dentro da lei e da ética ao choque de despertar com tal mensagem, em volume inaceitável. Aproveito este momento para propor uma reflexão a marketeiros, políticos, comerciantes e exibicionistas que torturam os outros com seus jingles, discursos, mensagens, anúncios e “músicas” (!) em volume insuportável ao ouvido humano. Percebam que esse tipo de ação causa revolta e não adesão. Respeitem o direito dos que trabalham a semana inteira e nem no domingo conseguem dormir sem os limites do horário de expediente. Pensem em quantos bebês choram, assustados, em quantos idosos são arrancados de seus sonhos, em quantos doentes que, além da dor que os consome, são submetidos a mais uma aflição. Quem, verdadeiramente, quer o desenvolvimento social e humano, deve começar observando os direitos de cidadania e civilidade.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *