0

Nota técnica do Núcleo de Monitoramento Hidrometeorológico da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade alerta que o volume de chuvas previsto para a região hidrográfica dos rios Tocantins e Araguaia no próximo mês de março pode ocasionar novo repique do nível do Tocantins em Marabá, cujas cheias anualmente causam tragédias para milhares de famílias residentes em áreas de risco. A expectativa é de que as águas continuem a se elevar até pelo menos 13 metros.

“O nível do rio subiu acendendo o sinal de alerta ainda em dezembro do ano passado. O que ocorre na região tem influência direta da chuva que cai nas cabeceiras dos rios Tocantins e Araguaia, localizadas entre o norte de Goiás e sul de Tocantins (no caso do rio Tocantins) e também no extremo leste de Mato Grosso (em relação ao rio Araguaia)”, explicou Saulo Carvalho, coordenador do NHM, acrescentando ainda que “as chuvas previstas para o final de fevereiro e início de março podem fazer que o nível do rio Tocantins em Marabá se eleve até os 12,5 metros. Após isso, é esperado que o nível do rio Tocantins se estabilize e depois tenha a tendência de queda”.

A Semas, através do NHM, continua acompanhando e realizando projeções matemáticas. Se o nível do rio ultrapassar novamente a cota de alerta da Defesa Civil (10 metros) serão necessárias providências adicionais para minorar o sofrimento da população.

No período chuvoso 2021/2022 as águas do Tocantins na cidade de Marabá ultrapassaram a marca de 10 metros ainda em dezembro do ano passado, alcançando mais de 13 metros na segunda quinzena de janeiro/2022. Após esse período, entrou em ritmo de descida, atingindo valores de 9,8 metros no final da primeira quinzena de fevereiro. Entretanto, já era esperado um novo repique durante este mês. Nos últimos dias, o nível do rio Tocantins se elevou novamente, atingindo níveis próximos de 12 metros de altura.

Segup deslanchou “Segurança por todo o Pará”

Anterior

Gabriella Florenzano e Salomão Habib apresentam “Cais”

Próximo

Vocë pode gostar

Mais de Notícias

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *