Nesta quinta-feira, dia 21, até o sábado, 23, a Escola do Legislativo da Assembleia Legislativa do Pará oferece os cursos de qualificação e atualização do projeto Forma Alepa/Elepa Itinerante em Santarém, atendendo toda a região do Baixo Amazonas, abrangendo também…

Em reunião conjunta das Comissões de Fiscalização Financeira e Orçamentária (CFFO) e de Constituição e Justiça (CCJ) da Assembleia Legislativa, nesta segunda-feira (18) foi aprovado o projeto de lei nº 363/2021, que autoriza o Governo do Pará a contratar operação…

Não houve o célebre círio fluvial de Oriximiná no rio Trombetas este ano, por causa da pandemia, mas a imagem de Santo Antônio flanou pelas águas, levada pela comunidade de várzea do Rio Cachoeiry, que celebrou o verão depois da…

Aprender mais sobre as boas práticas Lixo Zero e como aplicá-las no dia a dia, repensando hábitos de consumo e inspirando a população a enxergar os seus resíduos com dignidade é o que propõe a programação que acontecerá entre os…

Cerpasa no olho do furacão

Só em junho/julho deste ano, 11 novas ações penais foram ajuizadas pelo promotor de Justiça Francisco de Assis Santos Lauzid – da Promotoria de Justiça de Crimes contra Ordem Tributária – contra a sócia presidente da Cervejaria Paraense S/A (Cerpasa), Helga Irmengard Jutta Seibel; o administrador geral e procurador de contribuinte, José Ibrahim Sassim Dahas; Paulo César Noveline (contador geral) e Jocineide Santa Brígida Barros (contadora responsável pela elaboração das Declarações de Informações econômico-fiscais (Defis).

O “caso Cerpasa” já inclui 18 ações penais, atingindo o montante de R$312.851.598,62 (valores atualizados até junho de 2015).
Conforme o Ministério Público Estadual, esses valores, com atualização monetária e juros, até o trâmite final das ações poderá atingir quase meio bilhão de reais. 

As acusações são de “uso de crédito indevido, de junho a agosto/2010, antes admitido pelo Dec. 236/2007, que foi revogado pelos Decretos 1451/2008 e 1452/2008”. As imputações relativas aos anos de 2009, 2010, 2011 e 2014 seguem a mesma trilha. “O contribuinte apurou ICMS-ST a menor por meio de base de cálculo ilegal nos meses de julho a dezembro de 2014, sonegação de ICMS, bem como o uso de crédito indevido nesses períodos”, informa a peça do MPE. 

A Cerpasa, que alcançou notabilidade internacional com seu produto “Cerpinha”, tem sede no distrito de Icoaraci, em  Belém do Pará.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *