0

A equipe integrada por servidores da Semas, Polícia Militar, secretarias municipais de Meio Ambiente e Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas) apreendeu na região do Salgado, durante fiscalização, 400 caranguejos-uçá: 200 em Santo Antônio do Tauá e outros 200 em Capanema. Os animais foram soltos em manguezais de São Caetano de Odivelas e Bragança, a fim de que possam se reproduzir. A ação tem por base a Portaria 325/2020, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), e cobre o segundo período de defeso da espécie este ano, que vai de 10 a 15 de fevereiro. Neste período, é proibida a captura, transporte, beneficiamento, industrialização e comercialização de caranguejos-uçá, que em fase de reprodução saem de suas galerias (tocas) e circulam pelo manguezal.

Até agora foram fiscalizados os municípios de Quatipuru, Santarém Novo, Capanema, Tracuateua, Bragança, Marapanim, Curuçá, São Caetano de Odivelas e Santo Antônio do Tauá. Nas vistorias, foram identificados 18.500 caranguejos declarados, em seis pontos de desembarque do crustáceo: Porto da Alemanha e Porto Salinas, em Tracuateua; comunidade do Macaco e Boa Vista, em Quatipuru; Porto de Santarém Novo; e ponte de acesso à praia de Ajuruteua. Destes, só quatro tinham Declaração de Estoque referente a 5.400 unidades de crustáceos. Os animais apreendidos não estavam devidamente declarados.

Em Tracuateua foi apreendido um pássaro conhecido como ‘caboclinho-lindo’ (Sporophila minuta). O animal silvestre estava em cativeiro e sem licença ambiental e foi solto na natureza, na zona rural do município.

O próximo período de defeso será entre os dias 11 e 16 de março de 2024. A fiscalização vai continuar.

A era de tragédias climáticas

Anterior

É preciso tirar o povo da lama

Próximo

Vocë pode gostar

Mais de Notícias

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *