0
A população de Igarapé Miri denuncia situação calamitosa na gestão da saúde pública. Na Unidade Saúde da Família Boa Esperança, falta até medidor e medicamento para pressão arterial, o receituário médico está sendo improvisado em folha de caderno escolar e expedido por enfermeira. 
Ontem, duas mulheres grávidas e suas acompanhantes foram encaminhadas a Belém feito gado, em uma mesma ambulância, apesar de constar que há três ambulâncias no município. 
Conforme o Portal da Transparência, só o governo federal já repassou para lá mais de R$6 milhões este ano, com destinação exclusiva para a saúde pública.
Franssinete Florenzano
Jornalista e advogada, membro da Academia Paraense de Jornalismo, da Academia Paraense de Letras, do Instituto Histórico e Geográfico do Pará, da Associação Brasileira de Jornalistas de Turismo e do Instituto Histórico e Geográfico do Tapajós, editora geral do portal Uruá-Tapera e consultora da Alepa. Filiada ao Sinjor Pará, à Fenaj e à Fij.

Prêmio MPT de Jornalismo

Anterior

Dia do Artista de Teatro

Próximo

Vocë pode gostar

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *