Área contígua ao centro histórico de Belém do Pará, Zona Especial do Patrimônio Histórico declarada por lei, o bairro do Reduto, cenário industrial da belle Époque, da Doca do Reduto no início do século XX, com suas canoas coloridas repletas…

A Primeira Seção do Superior Tribunal de Justiça fixou, sob o rito dos recursos repetitivos, a tese de que o servidor federal inativo, independentemente de prévio requerimento administrativo, tem direito à conversão em dinheiro da licença-prêmio não usufruída durante a…

O prefeito Edmilson Rodrigues cumpriu agenda institucional em Brasília, ao lado do secretário municipal de Gestão e Planejamento, Cláudio Puty. No Ministério da Economia, trataram das obras de saneamento básico no Canal do Mata Fome, no bairro do Tapanã, onde…

O leite materno contém propriedades importantes para o crescimento e desenvolvimento do bebê, fortalecendo a sua imunidade contra diversas doenças. Em 1992 a Aliança Mundial de Ação Pró-Amamentação criou a Semana Mundial de Aleitamento Materno, de 1 a 7 de…

Caixa-preta do navio elucida naufrágio

São impressionantes as imagens e os sons da gravação da cabine do navio Mercosul Santos, uma espécie de caixa-preta que revela os diálogos e os alertas registrados pelos equipamentos minutos antes do abalroamento e naufrágio do empurrador e o comboio de nove balsas da Bertolini, por volta das 4h30 do dia 2 de agosto passado, perto de Óbidos (PA). Fica evidente que o prático do navio – um oficial médico da PM-RJ com apenas um ano de experiência na praticagem, já indiciado no inquérito policial – não atentou para a passagem simultânea de duas embarcações ao lado do seu navio, e que se comunicava apenas com uma delas, não tendo havido redução da velocidade e nem correção da rota. O radar apontou a iminência de colisão, mas ninguém tomou providência para evitar o acidente.

Hoje, o diretor do Grupamento Fluvial do Estado, delegado Dilermano Dantas, e o coronel PM André Cunha, secretário adjunto de Segurança, acompanhados pelo presidente da Companhia de Portos e Hidrovias do Pará, Alexandre Von, e pelo representante da Bertolini, relataram ao presidente da Assembleia Legislativa, deputado Márcio Miranda, as providências para resgate das nove vítimas e do comboio, cuja perícia poderá lançar mais luzes no caso. 

A Bertolini já apresentou a empresa holandesa selecionada para a salvatagem e a Marinha aprovou o plano de trabalho. No Brasil não há empresa qualificada, em razão das condições adversas de profundidade, corrente e visibilidade na garganta do rio Amazonas.  

Na quarta-feira, dia 27, será apresentado em Santarém às famílias das vítimas e à imprensa o escopo do plano de salvatagem. A execução da reflutuação só durará cerca de 12 dias, mas a operação logística é complexa, já começou e vai se demorar até novembro. Envolve uma cábrea (guindaste para cargas pesadas) com capacidade para levantar 1.200 toneladas, que será desmontada na Holanda, embarcada em navio e remontada no Brasil, e que vai pinçar com uma rede o empurrador a 63m de profundidade, sem utilização de mergulhadores.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *