A empresa de ônibus Belém-Rio, que faz a linha para o distrito de Outeiro – Ilha de Caratateua, em Belém, aparentemente está falida e reduziu pela metade a sua frota, causando enorme sofrimento aos usuários do transporte coletivo. O serviço,…

A Cosanpa abriu nada menos que seiscentos buracos imensos nos bairros mais movimentados de Belém, infernizando a vida de todo mundo com engarrafamentos e causando graves riscos de acidentes, principalmente porque chove sempre, e quando as ruas alagam os buracos…

O Procurador-Geral de Justiça César Mattar Jr. inaugurou nesta quinta-feira, 16, o Núcleo Eleitoral do Ministério Público do Estado do Pará, que vai funcionar na sede das Promotorias de Justiça de Icoaraci, distrito de Belém. O coordenador será o promotor…

A desembargadora Maria de Nazaré Saavedra Guimarães, que se destaca pelo belo trabalho que desenvolve à frente da Comissão de Ações Judiciais em Direitos Humanos e Repercussão Social do Tribunal de Justiça do Estado do Pará, e que já coordenou…

Belém tem disso

O ilustrador e designer gráfico Sérgio Bastos criou a série Belém Tem Disso, em abril de 2004, e com o tema produziu 400 desenhos, editou duas cartilhas, um livro e fez duas exposições, além de uma série de animação para TV, com mais de 30 episódios, durante oito anos. Em homenagem ao aniversário de Belém do Pará, que será amanhã, publico alguns de seus lindos desenhos, com referências históricas.

Construído entre 1904 e 1905 pelo engenheiro Francisco Bolonha e inaugurado no ano seguinte, na esquina da Av. Governador José Malcher com Joaquim Nabuco, o Palacete Bibi Costa é uma das relíquias arquitetônicas da época áurea da borracha em Belém. Originalmente, o prédio pertencia ao major Carlos Brício Costa; com o seu falecimento, foi vendido pela viúva ao seringalista José Júlio de Andrade, que morou lá com a família até 1952, quando se mudou para o Rio de Janeiro e vendeu o palacete para o comerciante Lauro Ramos. Em 1967 o prédio passou para o Departamento Nacional de Vias Navegáveis – DNPVN, e depois foi alugado para a Secretaria de Planejamento do Estado. Voltou à União e atualmente é ocupado pela Administração das Hidrovias da Amazônia Oriental – AHIMOR, ligada ao DNIT/Ministério dos Transportes. 

O Instituto Evandro Chagas foi fundado em 11 de novembro de 1936, no governo de José da Gama Malcher, com o nome de Instituto de Patologia Experimental do Norte. O belo prédio fica na Av. Almirante Barroso, perto do estádio Evandro Ameida. Com outra unidade no município de Ananindeua, o Evandro Chagas é um importante centro de pesquisas de microorganismos e patologias da Amazônia, respeitado e reconhecido internacionalmente.

A hoje caótica Almirante Barroso era assim em 1905 e se chamava Tito Franco. A estrada de ferro Belém-Bragança percorria toda a extensão da avenida, desde São Braz até os limites da cidade.

Construída em 1640 pela Ordem dos Mercedários para ser um convento, a Igreja de Nossa Senhora das Mercês foi reformada em 1753 pelo arquiteto Antonio Landi. Testemunha de grandes lutas do movimento cabano, a igreja está erguida na Praça Visconde do Rio Branco, conhecida como Praça das Mercês, no centro comercial de Belém. 
O Círio de Nazaré e um personagem que não pode faltar na procissão e na quinzena da festa: o vendedor de brinquedos de miriti, roque-roques e cataventos.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *