Embora o Quartel Tiradentes esteja localizado no coração do bairro do Reduto, sediando o 2º BPM e duas Companhias da Polícia Militar do Pará, os meliantes parecem desafiar abertamente os policiais. Os assaltos no bairro continuam muito frequentes, principalmente no…

Douglas da Costa Rodrigues Junior, estudante de Letras - Língua Portuguesa da Universidade Federal do Pará e bolsista do Museu Paraense Emílio Goeldi, ganhou a 18ª edição do Prêmio Destaque na Iniciação Científica e Tecnológica na área de Ciências Humanas…

O Ministério Público do Trabalho PA-AP abrirá na segunda-feira inscrições para Estágio de Nível Superior. A seleção será destinada ao preenchimento de vagas e formação do quadro de reserva de estagiários dos cursos de Administração/Gestão Pública, Biblioteconomia, Direito, Jornalismo, Publicidade/Propaganda…

Hoje, dia 23 de julho de 2021 às 19h, o Instituto Histórico e Geográfico do Pará realizada a nona “Live em Memória” da programação alusiva aos 121 anos do Silogeu, desta vez em homenagem ao centenário de nascimento do Almirante…

Belém Porto Futuro com ordem de serviço

ministro da Integração Nacional, Helder Barbalho,  assinou a ordem de serviço para a elaboração dos projetos básico e executivo para revitalização da área retroportuária de Belém do Pará, que têm prazo de um ano para ficarem prontos. Em seguida, está prevista a  construção de parque urbano, zonas de estacionamento e uma ponte para melhorar o tráfego. O projeto Belém Porto Futuro também prevê a revitalização da Praça General Magalhães e a construção da Praça Futuro,  e, ainda, a implantação de uma bacia de escoamento das águas pluviais do rio e espaço para restaurantes. R$31,5 milhões da Secretaria Nacional de Desenvolvimento Regional já estão garantidos no orçamento de 2018. A expectativa é de que as obras comecem em abril. 

Resta saber a quantas anda o  inquérito aberto pelo Ministério Público Federal para investigar denúncia pela Associação dos Amigos do Patrimônio de Belém de que o projeto, em área tombada pelo patrimônio histórico, não teria sido submetido à análise e aprovação do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) e não teria estudo de impacto ambiental e a devida licença de instalação antes da licitação. 

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *