O procurador do Ministério Público do Trabalho Sandoval Alves da Silva tomou posse na chefia da Procuradoria Regional do Trabalho da 8ª Região para o biênio de 2021-2023 enfatizando o papel decisivo do MPT na garantia dos direitos humanos. O…

Prevaleceu o bom senso e o cuidado com as pessoas. O prefeito Edmilson Rodrigues ouviu o secretário municipal de Saúde, Maurício Bezerra, e técnicos responsáveis pela vacinação e enfrentamento à Covid-19, e cancelou os desfiles das escolas de samba, blocos…

Começou hoje (27) às 8h e segue até às 17h a votação nas prévias do PSDB para escolher seu candidato à Presidência da República. O resultado, se tudo correr bem, deve ser anunciado às 20h. O partido passou a semana…

Em uma aula prática da Faculdade de Medicina da Unifamaz, ontem, o professor Marcus Vinícius Henriques de Brito, visivelmente impaciente com a aluna que deveria demonstrar intubação em um boneco, questionou a falta de lubrificação prévia do paciente, ao que…

Bebês e mães em desamparo

O
Sindicato dos Médicos do Pará fará, amanhã, representação ao MPE-PA, ao CRM-PA
e à Divisão de Operações Especiais da Polícia Civil contra a direção da Santa
Casa de Misericórdia, com pedido de providências em relação ao atendimento de
bebês no hospital, referência materno-infantil.  É que uma pediatra de plantão na hoje
de manhã deparou com várias irregularidades que podem colocar em risco vidas
de mães e bebês e até mesmo a saúde dos profissionais que atuam no hospital.
Entre
os problemas relatados pela médica estão a superlotação da UTI e da UCI
(Unidade de Cuidados Intermediários) e a internação de recém-nascidos
prematuros em estado grave nas salas de partos, o que pode agravar os riscos de
infecção, não só ao bebê prematuro mas a outro que venha nascer no local. Além
disso, ela contou que recém-nascidos são mantidos vivos por ventilação
manual (feita pelos profissionais) por falta de equipamentos de ventilação
mecânica. Há também casos de mulheres que acabaram de dar à luz, mantidas nos
corredores por falta de leitos e mais de um recém-nascido mantido em um único
berço aquecido por falta de vaga em berçário e a falta de leito nas
enfermarias.
É
a segunda vez neste mês que médicos da Santa Casa recorrem ao Sindmepa para
denunciar os problemas no hospital.  Só hoje, três procuraram o sindicato 
pedindo informações sobre como proceder diante da situação. Todos fizeram
relatos de extrema gravidade.
No
último dia 10, um médico chegou a registrar BO denunciando que bebês que
precisavam de UTI estavam na UCI, com aumento dos riscos de morte. Três dias
depois, o governador Simão Jatene visitou o hospital e anunciou a inauguração
de dez leitos de UTI, mas ainda não estão funcionando.
De
acordo com os médicos, as circunstâncias “ferem os mais flexíveis protocolos de
prevenção à infecção hospitalar e estão colocando em risco a vida dos
recém-nascidos e das mães; ademais, a superlotação e a falta de estrutura de
atendimento estão causando estresse e riscos aos profissionais envolvidos”.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *