Embora o Quartel Tiradentes esteja localizado no coração do bairro do Reduto, sediando o 2º BPM e duas Companhias da Polícia Militar do Pará, os meliantes parecem desafiar abertamente os policiais. Os assaltos no bairro continuam muito frequentes, principalmente no…

Douglas da Costa Rodrigues Junior, estudante de Letras - Língua Portuguesa da Universidade Federal do Pará e bolsista do Museu Paraense Emílio Goeldi, ganhou a 18ª edição do Prêmio Destaque na Iniciação Científica e Tecnológica na área de Ciências Humanas…

O Ministério Público do Trabalho PA-AP abrirá na segunda-feira inscrições para Estágio de Nível Superior. A seleção será destinada ao preenchimento de vagas e formação do quadro de reserva de estagiários dos cursos de Administração/Gestão Pública, Biblioteconomia, Direito, Jornalismo, Publicidade/Propaganda…

Hoje, dia 23 de julho de 2021 às 19h, o Instituto Histórico e Geográfico do Pará realizada a nona “Live em Memória” da programação alusiva aos 121 anos do Silogeu, desta vez em homenagem ao centenário de nascimento do Almirante…

Banpará condenado por discriminação



Em 12.08.2012 Vivian Gurgel dos Santos prestou o concurso do Banpará para um cargo administrativo nível médio. Foi aprovada, classificada e chamada em 30.01.2014. No dia 03.02.2014 fez os exames com a médica do Trabalho, sendo considerada apta. Poucos dias depois, foi submetida a cirurgia de Mastectomia Radical Modificada. Ao revelar que era portadora de Neoplasia Maligna de Mama, o banco a obrigou a fazer novos exames e só a contratou depois que ela ajuizou uma ação na Justiça do Trabalho e obteve uma liminar judicial determinando a admissão. Apesar da situação humilhante, Vivian não esmoreceu e lutou por seus direitos. No dia 07 de abril de 2015 os desembargadores do Trabalho que integram a 1a. Turma do TRT8 confirmaram não só o dever de contratar, mas também condenaram o Banpará a pagar a Vivian R$50 mil a título de indenização por danos morais. Foi o primeiro caso no Pará em que um banco foi condenado por conduta discriminatória. Uma vitória para os portadores de câncer, um precedente que vai ajudar a todos os portadores dessa doença que são discriminados em seu local de trabalho.
Infelizmente essa cidadã pioneira não viveu a tempo de ver a justiça ser feita. 
Vivian Gurgel dos Santos faleceu em outubro do ano passado, vencida pelo câncer. O jovem advogado Diego Ferraz, que comprou a briga e fez uma emocionante sustentação oral, levou esse conforto à família, que com isso quer ajudar outras vítimas desse tipo de situação.

O relator do processo foi o desembargador do Trabalho Marcus Losada Maia, prolator do acórdão, publicado no último dia 24. Leiam a decisão do colegiado na íntegra aí em cima.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *