0


O presidente da Assembleia Legislativa do Pará, deputado Chicão, condecorou mulheres que se destacam na sociedade paraense em defesa da cidadania, outorgando a Medalha Isa Cunha, instituída em 2004, em memória à historiadora Isa Cunha, fundadora da Sociedade Paraense dos Direitos Humanos e do Movimento das Mulheres do Campo e da Cidade. A honraria passou a ser outorgada durante a sessão alusiva ao Dia Internacional da Mulher, criada pela Resolução nº 22, de 11 de agosto de 1983, por iniciativa do deputado Raimundo Santos, atual Ouvidor-Geral da Casa.

 Isa Cunha foi historiadora e militante dos direitos humanos. Ajudou a fundar entidades que até hoje desempenham atividades fundamentais em defesa dos direitos humanos no Pará. O Movimento das Mulheres do Campo e da Cidade, criado em 1985, foi presidido por ela durante três mandatos e hoje conta com representação em dezenas de cidades.

Desigualdade de gênero, preconceito e discriminação sofridos pelas mulheres brasileiras pontuaram os pronunciamentos. “Quando falamos em média salarial e mercado de trabalho, elas ainda ganham menos. Na política são minoria, apesar de sua inegável força. Por isso, conclamo as mulheres a buscar maior espaço na política”, declarou o deputado Chicão, realçando a violência que atinge as mulheres, as dificuldades enfrentadas na colocação profissional e a tripla jornada diária, e afirmando que não é possível admitir que esse cenário secular perdure. Chicão elogiou o desempenho das mulheres parlamentares, a atuação da Procuradoria Especial da Mulher e das servidoras da Alepa.

 Copuseram a mesa oficial da solenidade a Procuradora Especial da Mulher e Primeira Secretária da Alepa, deputada Professora Nilse Pinheiro; a secretária de Estado de Planejamento e Administração, Hanna Ghassan; a presidente do Tribunal de Contas dos Municípios do Estado do Pará, conselheira Mara Barbalho, e as deputadas Dra. Heloísa Guimarães, Diana Belo, Paula Gomes e Marinor Brito.

“Dizer da importância dessa homenagem é falar também da representatividade nos espaços de poder. É assim que a gente trabalha, aqui, na bancada feminina, onde somos dez deputadas e representamos 25% dentro da Alepa. Nossas bandeiras coletivas são em favor das mulheres e, com o apoio dos deputados, temos vários projetos aprovados. E hoje temos aqui mulheres de grande relevância para a sociedade”, realçou a deputada Nilse Pinheiro.

Em seu pronunciamento, a deputada Dra. Heloísa Guimarães destacou que “é muito importante ter esse reconhecimento às mulheres que são pioneiras em várias áreas, desde a agricultura até a campeã de robótica. Essa distinção serve para exaltar e dar exemplo para outras mulheres de que nós podemos buscar os nossos sonhos e transformar a nossa realidade. Defendo e sempre irei trabalhar as defesa das causas femininas”.

A titular da Seplad, Hanna Ghassan, enfatizou a luta e o reconhecimento de mulheres que desenvolvem atividades em diversas áreas. “Fico muito feliz em receber essa homenagem e pelo reconhecimento deste poder, em homenagear mulheres que desenvolvem suas atividades nos setores públicos e privados. É uma data importante para que a gente  possa lembrar toda luta das mulheres que há muito vêm buscando oportunidades”, salientou.

Já a presidente do TCM-PA, conselheira Mara Barbalho, disse que a data deve servir de alerta para a sociedade. “Nós estamos em um momento de festa, mas precisamos avançar em muitos lugares na sociedade e precisamos justamente desse reconhecimento. Esse dia deve ser um alerta, porque ainda há muito a ser mudado, todo esse retrocesso de comportamento sexista, machista, que faze com que a mulher seja violentada de várias formas”.

Para a vereadora de Novo Progresso, Adriana Manfroi, que está em seu primeiro mandato, a honraria é um estímulo para as mulheres que atuam na política. “Esta homenagem não representa apenas uma medalha, mas toda a força feminina que está envolvida nos dias atuais, trabalhando na política.  Temos um índice muito pequeno de mulheres que atuam politicamente e receber essa medalha, acredito que sirva de motivação”.

Na área da saúde, entre as agraciadas estava a presidente do Conselho Regional de Enfermagem (Coren), Danielle Cruz, que aproveitou para reivindicar melhores condições de trabalho. “É uma satisfação receber esta homenagem. Mas, muito mais do que homenagens, a gente precisa de melhores condições para que possamos desenvolver a nossa profissão. A nossa categoria é predominantemente feminina, cerca de 85% são mulheres, em sua maioria negras, pardas e periféricas. Nós estamos na linha de frente de saúde e temos uma jornada dupla, então falta o reconhecimento salarial e melhores condições de trabalho”.

A professora de matemática Keila Catete, campeã nacional de Robótica, área predominantemente masculina, começou a ensinar aos alunos usando sucatas. “Estou muito emocionada, porque é uma história de lutas desde 2014 e, quando iniciei na matemática, ouvi as pessoas falarem que não seria possível, porque não tinha laboratório e eu usava lixo eletrônico para fazer o trabalho junto com os alunos. Eu não desisti e por isso estou aqui”, festejou.

Várias servidoras do Poder Legislativo também receberam a medalha. A Secretária Legislativa Rebecca Hesketh foi uma delas. “Primeiro quero agradecer a Deus, que me oportuniza todos os dias cumprir a minha missão aqui na Terra. Em segundo, agradeço ao presidente Chicão e aos meus colaboradores, sem eles não estaria aqui e não conseguiria coordenar o legislativo e o administrativo. Minha gratidão a todos”, disse.

Márcia Leite, secretária da Comissão de Fiscalização Financeira e Orçamentária (CFFO), onde desempenha com brilho suas funções e cuida da tramitação de matérias importantes como as contas do Governo do Estado, a LDO – Lei de Diretrizes Orçamentárias e LOA – Lei do Orçamento Anual, foi agraciada com a Medalha Isa Cunha. É uma das mais antigas servidoras efetivas da Alepa, benquista por todos. “Agradeço ao deputado Igor Normando que me indicou para receber a homenagem, depois de 37 anos servindo a Casa. Esta medalha significa muito para mim. É uma honra, porque vem de uma representação como a Isa Cunha para as mulheres e para movimento social”.

Os deputados Raimundo Santos, Delegado Nilton Neves e Martinho Carmona prestigiaram a sessão solene. 

O canto de uma criança em Kyiv

Anterior

Juiz declara deputado inelegível

Próximo

Vocë pode gostar

Mais de Notícias

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *