Governador do Pará e presidente do Consórcio de Governadores da Amazônia Legal, Helder Barbalho está com agenda intensa em Brasília, e em reunião com Lula nesta sexta-feira (27) apresentou documento proposto pelo CAL. Para o desenvolvimento regional do bioma amazônico,…

O Papa Francisco nomeou o atual bispo da prelazia de Marajó (PA), Dom Evaristo Pascoal Spengler, bispo de Roraima (RR), que estava sem titular há um ano, desde a transferência de Dom Mário Antônio da Silva para a arquidiocese de…

Utilizar o futebol como ferramenta de transformação social para crianças e adolescentes de todo o Pará é o objetivo do projeto "Futebol Formando Cidadão", que será lançado neste domingo (29) no oeste paraense. A iniciativa é do Tapajós Futebol Clube,…

No próximo sábado, 28, é o Dia Nacional de Combate ao Trabalho Escravo. Esta semana, foram divulgados dados da Secretaria de Inspeção do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) referente a 2022, quando foram resgatados 2.575 trabalhadores em condições análogas…

Alepa outorga a Medalha Isa Cunha


O presidente da Assembleia Legislativa do Pará, deputado Chicão, condecorou mulheres que se destacam na sociedade paraense em defesa da cidadania, outorgando a Medalha Isa Cunha, instituída em 2004, em memória à historiadora Isa Cunha, fundadora da Sociedade Paraense dos Direitos Humanos e do Movimento das Mulheres do Campo e da Cidade. A honraria passou a ser outorgada durante a sessão alusiva ao Dia Internacional da Mulher, criada pela Resolução nº 22, de 11 de agosto de 1983, por iniciativa do deputado Raimundo Santos, atual Ouvidor-Geral da Casa.

 Isa Cunha foi historiadora e militante dos direitos humanos. Ajudou a fundar entidades que até hoje desempenham atividades fundamentais em defesa dos direitos humanos no Pará. O Movimento das Mulheres do Campo e da Cidade, criado em 1985, foi presidido por ela durante três mandatos e hoje conta com representação em dezenas de cidades.

Desigualdade de gênero, preconceito e discriminação sofridos pelas mulheres brasileiras pontuaram os pronunciamentos. “Quando falamos em média salarial e mercado de trabalho, elas ainda ganham menos. Na política são minoria, apesar de sua inegável força. Por isso, conclamo as mulheres a buscar maior espaço na política”, declarou o deputado Chicão, realçando a violência que atinge as mulheres, as dificuldades enfrentadas na colocação profissional e a tripla jornada diária, e afirmando que não é possível admitir que esse cenário secular perdure. Chicão elogiou o desempenho das mulheres parlamentares, a atuação da Procuradoria Especial da Mulher e das servidoras da Alepa.

 Copuseram a mesa oficial da solenidade a Procuradora Especial da Mulher e Primeira Secretária da Alepa, deputada Professora Nilse Pinheiro; a secretária de Estado de Planejamento e Administração, Hanna Ghassan; a presidente do Tribunal de Contas dos Municípios do Estado do Pará, conselheira Mara Barbalho, e as deputadas Dra. Heloísa Guimarães, Diana Belo, Paula Gomes e Marinor Brito.

“Dizer da importância dessa homenagem é falar também da representatividade nos espaços de poder. É assim que a gente trabalha, aqui, na bancada feminina, onde somos dez deputadas e representamos 25% dentro da Alepa. Nossas bandeiras coletivas são em favor das mulheres e, com o apoio dos deputados, temos vários projetos aprovados. E hoje temos aqui mulheres de grande relevância para a sociedade”, realçou a deputada Nilse Pinheiro.

Em seu pronunciamento, a deputada Dra. Heloísa Guimarães destacou que “é muito importante ter esse reconhecimento às mulheres que são pioneiras em várias áreas, desde a agricultura até a campeã de robótica. Essa distinção serve para exaltar e dar exemplo para outras mulheres de que nós podemos buscar os nossos sonhos e transformar a nossa realidade. Defendo e sempre irei trabalhar as defesa das causas femininas”.

A titular da Seplad, Hanna Ghassan, enfatizou a luta e o reconhecimento de mulheres que desenvolvem atividades em diversas áreas. “Fico muito feliz em receber essa homenagem e pelo reconhecimento deste poder, em homenagear mulheres que desenvolvem suas atividades nos setores públicos e privados. É uma data importante para que a gente  possa lembrar toda luta das mulheres que há muito vêm buscando oportunidades”, salientou.

Já a presidente do TCM-PA, conselheira Mara Barbalho, disse que a data deve servir de alerta para a sociedade. “Nós estamos em um momento de festa, mas precisamos avançar em muitos lugares na sociedade e precisamos justamente desse reconhecimento. Esse dia deve ser um alerta, porque ainda há muito a ser mudado, todo esse retrocesso de comportamento sexista, machista, que faze com que a mulher seja violentada de várias formas”.

Para a vereadora de Novo Progresso, Adriana Manfroi, que está em seu primeiro mandato, a honraria é um estímulo para as mulheres que atuam na política. “Esta homenagem não representa apenas uma medalha, mas toda a força feminina que está envolvida nos dias atuais, trabalhando na política.  Temos um índice muito pequeno de mulheres que atuam politicamente e receber essa medalha, acredito que sirva de motivação”.

Na área da saúde, entre as agraciadas estava a presidente do Conselho Regional de Enfermagem (Coren), Danielle Cruz, que aproveitou para reivindicar melhores condições de trabalho. “É uma satisfação receber esta homenagem. Mas, muito mais do que homenagens, a gente precisa de melhores condições para que possamos desenvolver a nossa profissão. A nossa categoria é predominantemente feminina, cerca de 85% são mulheres, em sua maioria negras, pardas e periféricas. Nós estamos na linha de frente de saúde e temos uma jornada dupla, então falta o reconhecimento salarial e melhores condições de trabalho”.

A professora de matemática Keila Catete, campeã nacional de Robótica, área predominantemente masculina, começou a ensinar aos alunos usando sucatas. “Estou muito emocionada, porque é uma história de lutas desde 2014 e, quando iniciei na matemática, ouvi as pessoas falarem que não seria possível, porque não tinha laboratório e eu usava lixo eletrônico para fazer o trabalho junto com os alunos. Eu não desisti e por isso estou aqui”, festejou.

Várias servidoras do Poder Legislativo também receberam a medalha. A Secretária Legislativa Rebecca Hesketh foi uma delas. “Primeiro quero agradecer a Deus, que me oportuniza todos os dias cumprir a minha missão aqui na Terra. Em segundo, agradeço ao presidente Chicão e aos meus colaboradores, sem eles não estaria aqui e não conseguiria coordenar o legislativo e o administrativo. Minha gratidão a todos”, disse.

Márcia Leite, secretária da Comissão de Fiscalização Financeira e Orçamentária (CFFO), onde desempenha com brilho suas funções e cuida da tramitação de matérias importantes como as contas do Governo do Estado, a LDO – Lei de Diretrizes Orçamentárias e LOA – Lei do Orçamento Anual, foi agraciada com a Medalha Isa Cunha. É uma das mais antigas servidoras efetivas da Alepa, benquista por todos. “Agradeço ao deputado Igor Normando que me indicou para receber a homenagem, depois de 37 anos servindo a Casa. Esta medalha significa muito para mim. É uma honra, porque vem de uma representação como a Isa Cunha para as mulheres e para movimento social”.

Os deputados Raimundo Santos, Delegado Nilton Neves e Martinho Carmona prestigiaram a sessão solene. 

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *