Em uma aula prática da Faculdade de Medicina da Unifamaz, ontem, o professor Marcus Vinícius Henriques de Brito, visivelmente impaciente com a aluna que deveria demonstrar intubação em um boneco, questionou a falta de lubrificação prévia do paciente, ao que…

Na quarta-feira passada, dia 24, a audiência pública na Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara Federal, em Brasília, era para discutir a gravíssima situação na Terra Indígena Yanomami, mas o clima de enfrentamento entre bolsonaristas e lulistas inviabilizou…

O prefeito Edmilson Rodrigues anunciou que Belém tem condições de fazer o Carnaval 2022, após reunião hoje (25) à tarde com representantes das escolas de samba e blocos carnavalescos. Ele acredita que com mais de 80% de pessoas vacinadas contra…

Em 17 de dezembro de 1999, a Assembleia Geral das Nações Unidas designou o 25 de novembro Dia Internacional da Eliminação da Violência contra a Mulher. Passados 22 anos, os dados do 14° Anuário Brasileiro de Segurança Pública são aterrorizantes: por…

Alepa encerrou ano legislativo

   

Fotos: Ozeas Santos
A sessão solene de encerramento do ano legislativo da Alepa teve direito até a um mini concerto, com o violonista Sebastião Tapajós (agraciado com título honorífico), a cantora lírica Gabriella Florenzano e a pianista Leandra Leal. Foram outorgados 28 títulos de Honra ao Mérito, sete de Honra ao Mérito Post-Mortem, 18 de Cidadão do Pará e mais 7 da Ordem do Mérito Cabanagem. O deputado Márcio Miranda (DEM) presidiu a sessão e alinhou os avanços obtidos em 2015. Martinho Carmona (PMDB) falou em nome de todos os parlamentares e, na condição de pastor evangélico, abençoou as pessoas e a Casa.

O presidente da OAB-PA, Jarbas Vasconcelos, foi o orador em nome de todos os homenageados e recitou trecho do discurso de Eduardo Angelim, lembrando a tomada de Belém pelos Cabanos, em 1835: “os paraenses não querem ser escravos, principalmente dos portugueses”, fazendo um paralelo com a situação atual, em relação à União, em temas como energia. Jarbas defendeu que a OAB e a Alepa se unam em torno de uma pauta estratégica que possa redefinir o pacto federativo e contemple os interesses do Pará e da Amazônia. “Nós precisamos fazer essa política. Temos tantos temas para nos manter unidos e tão poucos para nos manter distantes”, asseverou, concluindo que a gestão de Márcio Miranda “é um exemplo que deve ser palmilhado e seguido”.

O chefe da Casa Civil, José Megale, no ato representando o governador Simão Jatene, agradeceu a colaboração de cada um dos deputados na construção de leis que garantam o avanço do Pará e, mencionando as recentemente criadas taxas hídrica e mineral, frisou que até hoje a Eletronorte não recolheu um tostão aos cofres estaduais do que deve aos parauaras.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *