Governador do Pará e presidente do Consórcio de Governadores da Amazônia Legal, Helder Barbalho está com agenda intensa em Brasília, e em reunião com Lula nesta sexta-feira (27) apresentou documento proposto pelo CAL. Para o desenvolvimento regional do bioma amazônico,…

O Papa Francisco nomeou o atual bispo da prelazia de Marajó (PA), Dom Evaristo Pascoal Spengler, bispo de Roraima (RR), que estava sem titular há um ano, desde a transferência de Dom Mário Antônio da Silva para a arquidiocese de…

Utilizar o futebol como ferramenta de transformação social para crianças e adolescentes de todo o Pará é o objetivo do projeto "Futebol Formando Cidadão", que será lançado neste domingo (29) no oeste paraense. A iniciativa é do Tapajós Futebol Clube,…

No próximo sábado, 28, é o Dia Nacional de Combate ao Trabalho Escravo. Esta semana, foram divulgados dados da Secretaria de Inspeção do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) referente a 2022, quando foram resgatados 2.575 trabalhadores em condições análogas…

Adeus a Marina Monarcha

A grande dama Marina Monarcha, lenda viva do canto erudito brasileiro, agora brilha no céu. Todos os cantores líricos, maestros e músicos do Pará estão unidos em uma corrente de orações e de pensamentos positivos pela respeitada e amada professora, que formou e inspirou gerações de artistas parauaras. Musicista, cantora e docente de enorme carisma, sua luz e energia contagiavam as pessoas e assim ela transmitia seu entusiasmo e paixão pela música. Em sua homenagem, em 2017 foi instituído o Concurso de Canto Marina Monarcha pelo Governo do Pará, via Fundação Carlos Gomes e Instituto Estadual Carlos Gomes, assim como o Coro Marina Monarcha, em 2013.

Marina Monarcha se formou em canto e piano pelo Conservatório Carlos Gomes, em Belém. No início dos anos 1970, integrou o movimento musical que deu origem à Escola de Música da Universidade Federal do Pará (EMUFPA). Após conquistar uma bolsa de estudos, transferiu-se para o Rio de Janeiro, onde concluiu o mestrado em Música pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) com a dissertação ‘As exigências técnicas de Música Contemporânea para o intérprete cantor’. Iniciou, assim, sua carreira artística, paralela à atividade docente. Apresentou-se regularmente em óperas, concertos e programas da rádio MEC e fez várias gravações. É mãe da também soprano Carmem Monarcha, que construiu uma sólida carreira internacional, a quem convergimos abraço fraterno e solidário, cheio de saudade. Viva o canto no Pará e a eterna estrela Marina Monarcha!

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Participe da discussão

1 comentário

  1. Mais uma expoente de nossa cultura que nos deixa para juntar-se a tantas outras estrelas que partiram deixando um legado para as novas gerações.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *