Na terça-feira da semana passada (19), quando estava em votação no plenário da Assembleia Legislativa projeto de Indicação de autoria da deputada Professora Nilse Pinheiro transformando o Conselho Estadual de Educação em autarquia, detentora de autonomia deliberativa, financeira e administrativa,…

A desgraça sempre chega a galope, mas tudo o que é bom se arrasta indefinidamente no Brasil, o país dos contrastes e contradições, rico por natureza, com poucos bilionários e povo abaixo da linha da pobreza. Parece inacreditável, mas tramita…

O prefeito de Oriximiná, Delegado Willian Fonseca, foi reconduzido ao cargo pelo juiz titular da Vara Única daComarca local, Wallace Carneiro de Sousa, e literalmente voltou a tomar posse nos braços do povo. Era por volta do meio-dia, hoje (26),…

A equipe multidisciplinar do centro obstétrico da Fundação Santa Casa de Misericórdia do Pará, em Belém (PA), vivenciou uma experiência rara e emocionante: o parto empelicado. Imaginem um bebê nascendo dentro da placenta intacta, com os movimentos visíveis, praticamente ainda…

Aberta a temporada de choro pelos cortes no orçamento

Haverá muito choro e ranger de dentes. Ontem, a temporada de chororô político foi aberta na Alepa. Os deputados Iran Lima(líder do PMDB), Ozório Juvenil(PMDB), Eraldo Pimenta (PMDB), Soldado Tércio(PROS) e Lélio Costa(PCdoB) reclamaram com veemência da falta de pagamento das emendas parlamentares. O Pará foi o primeiro a aprovar lei dando caráter impositivo a essas emendas, alegam, mas até agora não foi regulamentada, o que, na prática, prejudica sua exigibilidade. O líder do Governo, deputado Eliel Faustino(DEM), explicou que, em razão da grave crise nacional, o Estado vem priorizando os salários dos servidores e cortando gastos, a fim de evitar situações tais quais vivem o Rio de Janeiro e o Rio Grande do Sul, por exemplo.

As queixas tendem a aumentar. Até porque, reunidos em Brasília, governadores de Estados, o presidente da República, Michel Temer, os ministros da Fazenda, Henrique Meirelles, e do Planejamento, Dyogo Oliveira, bem como os presidentes da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia e do Senado federal, Renan Calheiros, celebraram um pacto nacional pelo equilíbrio das contas públicas que exige um rigoroso ajuste fiscal, reforma da Previdência e compromisso com o corte de gastos. A partir de hoje, os secretários de Fazenda elaborarão, com a Secretaria do Tesouro Nacional, proposta de ajuste dos Estados a ser apresentada na próxima semana ao ministro da Fazenda. Vem mais arrocho por aí. O congelamento de reajuste de salários por dois anos é um item. Ai, ai…

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *