0


O juiz Newton Carneiro Primo, titular da vara da Infância e Juventude de Ananindeua (PA), em “O amor em meio ao dissenso” mergulha nas consequências da guerra político-partidária que assola o Brasil e o mundo para chamar a atenção da sociedade acerca do futuro das relações humanas. Em seu livro, o magistrado mostra que a possibilidade de as pessoas voltarem a se entender e conviver representa a chance de evitar a violência. A partir de uma história de ficção, ele trata dos conflitos causados por diferentes ideologias políticas que acabam afastando pais, filhos, irmãos e amigos. “As consequências do extremismo e da falta de tolerância já se mostrou perigosa para o futuro das relações humanas”, comenta Newton Carneiro Primo, alertando sobre a importância da paciência e respeito nos vínculos afetivos.

Em “O amor em meio ao dissenso”, sua estreia na ficção, Newton afirma que se conectar com Deus pode ser um passo importante para atingir esses objetivos e convida o leitor a uma reflexão sobre questões sociais, políticas e, sobretudo, existenciais, em um enredo repleto de personagens multifacetados.

No romance, a narrativa parte do cenário pandêmico, que trouxe não somente a calamidade em saúde mas uma guerra político-partidária e a constante sensação de insegurança. O texto convida à reflexão sobre questões sociais, políticas e, sobretudo, existenciais, através da saga dos personagens.

Conhecedor dos preceitos de justiça e espectador das mazelas sociais, o autor conclama as pessoas a refletirem sobre temas como saúde mental, diversidade, política e espiritualidade, e revela um pequeno retrato da angústia humana diante da acelerada e incompreendida mudança de valores por que passa o mundo.

Para além das camadas factual, filosófica e política, o enredo detém, no aspecto espiritual, uma grande força impulsionadora para a conciliação de contrários. O autor conduz os leitores a experiências inseridas em uma realidade marcada por extremos opostos, com personagens sendo desafiados a evoluir em suas concepções, a partir não de conveniências pessoais, mas do sentimento que é capaz de mudar o mundo e modificar positivamente as pessoas: o amor.

Newton Carneiro Primo, formado em Direito pela Universidade da Amazônia, exerceu o cargo de Analista Processual do MPU, em Brasília (DF) de 2005 a 2007. Aprovado em primeiro lugar para a magistratura paraense, percorreu várias comarcas do interior, o que lhe proporcionou experiência de vida e material para trabalhar com ficção. Atualmente, é juiz titular da Infância e Juventude de Ananindeua, região metropolitana de Belém.

A obra foi publicada pela Artêra Editorial, tem 508 páginas e pode ser adquirida na Amazon por R$ 82.

Há 60 anos do Golpe Militar, a Democracia ainda corre riscos

Anterior

Oriximiná tem o 1ª e 2º maiores CAR Quilombola do Brasil

Próximo

Vocë pode gostar

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *