Nesta quinta-feira, dia 21, até o sábado, 23, a Escola do Legislativo da Assembleia Legislativa do Pará oferece os cursos de qualificação e atualização do projeto Forma Alepa/Elepa Itinerante em Santarém, atendendo toda a região do Baixo Amazonas, abrangendo também…

Em reunião conjunta das Comissões de Fiscalização Financeira e Orçamentária (CFFO) e de Constituição e Justiça (CCJ) da Assembleia Legislativa, nesta segunda-feira (18) foi aprovado o projeto de lei nº 363/2021, que autoriza o Governo do Pará a contratar operação…

Não houve o célebre círio fluvial de Oriximiná no rio Trombetas este ano, por causa da pandemia, mas a imagem de Santo Antônio flanou pelas águas, levada pela comunidade de várzea do Rio Cachoeiry, que celebrou o verão depois da…

Aprender mais sobre as boas práticas Lixo Zero e como aplicá-las no dia a dia, repensando hábitos de consumo e inspirando a população a enxergar os seus resíduos com dignidade é o que propõe a programação que acontecerá entre os…

A urgência de providências pela vida e cidadania

O recrudescimento da violência aterroriza a sociedade brasileira. Só este ano, já foram assassinados no Pará 17 policiais militares.  E em todo o Brasil, só até a semana passada, 2016 já registra 294 policiais baleados e 70 mortos. Do total, 275 eram PMs – um deles de Roraima, cedido à Força Nacional de Segurança e trabalhando durante os Jogos Olímpicos -, 15 eram policiais civis e 4 eram policiais rodoviários federais. Destes, 181 estavam de serviço, 99 de folga, 12 eram reformados, 1 era aposentado e 1 era recruta. Mais alarmante ainda é que 106 foram atingidos em áreas ditas pacificadas. São números de uma guerra não declarada à qual é preciso por um fim. Se os militares que são preparados para o combate estão tombando, o que resta ao cidadão comum, cumpridor de seus deveres, que não usa arma e abomina a violência? Não se pode tratar de casos isoladamente, essa chaga social ceifa vidas e a cidadania. 

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *