A 27ª Unidade de Conservação do Estado do Pará abrange os municípios de Jacareacanga e Novo Progresso, no sudoeste paraense. O Decreto nº 1.944/2021 foi assinado pelo governador Helder Barbalho na quinta-feira, 21, e publicado ontem (22) no Diário Oficial…

O Atlas da Dívida dos Estados Brasileiros, lançado no Fórum Internacional Tributário pela Federação Nacional do Fisco Estadual e Distrital, aponta que a dívida ativa das empresas com os entes federados soma estratosféricos R$ 896,2 bilhões, significando 13,18% do PIB…

Ao abrir oficialmente o Forma Alepa/Elepa, o presidente da Assembleia Legislativa do Pará, deputado Chicão, destacou a importância do trabalho que vem sendo executado pela Escola do Legislativo, treinando, qualificando e atualizando gestores, vereadores e servidores públicos, que dessa forma…

Em Itupiranga, força-tarefa do Ministério Público do Trabalho no Pará e Amapá, Auditoria Fiscal do Trabalho, Defensoria Pública da União e Polícia Federal resgatou sete trabalhadores em condições análogas às de escravos, em duas fazendas no sudeste paraense, e prendeu…

A imensa vergonha nacional

Há 71 anos, no dia 2 de dezembro de 1945, foram realizadas eleições para a presidência da República e uma Assembleia Nacional Constituinte, que iniciou seus trabalhos em 2 de fevereiro seguinte sob o impacto da derrota do nazi-fascismo na Europa e do fim do Estado Novo no Brasil. Não por acaso, durante os primeiros meses de discussão, de fevereiro a maio, houve um duro julgamento do regime anterior, que se denominou a “autópsia da ditadura”. 

Hoje, a data marca um ano conturbado da História do Brasil, afundado em crise econômica, política e, sobretudo, moral, com desdobramentos ainda difíceis de prever e que acarreta grande desprestígio às instituições, face ao profundo descontentamento que se alastrou, de norte a sul, por toda a sociedade brasileira. 

Os crimes praticados contra a economia do nosso País deveriam ser tipificados como hediondos, pelos gravosos prejuízos aos cofres públicos, que podem ser denominados de lesa cidadania, lesa republica e lesa Direitos Humanos econômicos e sociais. 

Mas aqueles que incorrem nos crimes de colarinho branco estão tratando de se blindar, na calada da noite. A emenda que instituiu na Câmara Federal os crimes de responsabilidade para promotores e autoridades judiciais no bojo do projeto das 10 Medidas de Combate à Corrupção e o PL 280/16, que trata de abuso de autoridade, foram criados especificamente para criminalizar condutas de autoridades que atuam na Operação Lava Jato, embora várias das decisões do juiz Sérgio Moro – alvo principal – tenham sido mantidas pelo TRF, STJ e STF. A intenção do Congresso Nacional – onde a maioria absoluta responde a algum processo judicial – é criminalizar todos os seus julgadores?

É mais uma vergonha nacional! Devemos todos, cidadãos eleitores, anotar os nomes dos parlamentares que estão empenhados em aprovar essa excrescência e tirá-los da vida pública em 2018, através da arma do voto, por traição cívica.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *