0
Compartilhamento

Com 229 estandes de livros, 138 empresas (60 do Pará), sendo 42 editoras, 37 livrarias e 59 distribuidores de livros, o Hangar Centro de Convenções e Feiras da Amazônia vai sediar, de 9 a 19, o maior evento literário da região Norte do Brasil, 26ª Feira Pan-Amazônica do Livro e das Multivozes. Atrações locais e nacionais participarão das rodas de conversa, shows, saraus e discussões literárias, sempre das 9h às 21h, com acesso livre e gratuito. A expectativa é de que cerca de 2 mil vagas de empregos diretos e indiretos sejam gerados durante o período da montagem e realização da Feira. A estimativa de vendas é de 750 mil exemplares de livros, movimentando aproximadamente, R$18 milhões em negócios. A Academia Paraense de Letras e a Academia Paraense de Jornalismo, assim como os Escritores Paraenses, têm estandes na Feira. A APJ participa pelo segundo ano e seus membros estão felizes não só pela oportunidade de expor e comercializar suas obras literárias, como também pelo encontro com grande número de leitores, estreitando essa relação que só faz bem à cultura.

A secretária de Estado de Cultura, Úrsula Vidal, foi muito feliz na escolha dos escritores homenageados, que merecidamente estão protagonizando o evento. Homenageados do ano, a artista e escritora castanhalense Heliana Barriga, e o  jornalista, advogado e poeta cametaense Salomão Larêdo serão os grandes destaques do primeiro dia da Feira. Às 15h30 na Arena Multivozes, haverá o bate-papo “Mala sem fundo: um lugar de inventar”, sobre a obra de Heliana Barriga, com sua filha, Cecília Barriga e Marcos André Cunha, e mediação de Wanderleia Leitão. Já às 16h30, “A cultura e o imaginário amazônico na obra de Salomão Larêdo” será o tema da conversa de Rita Silva e Filipe Nassar Larêdo, filho do homenageado; a mediação será de Nellihany Soares.

O Sarau na Feira, “Por dentro da Barriga”, começa às 17h30 com o grupo Ayvu Rapyta e os músicos Eliezer Aviz e Gleidson Carréra. Às 19h, tem o Papo, prosa e versos “Entre rios, cidades e cabarés: a pluriversidade amazônica na obra ficcional de Salomão Larêdo”, com Marcilene de Oliveira e Wanúbya Moreira, e mediação de Lucilena Gonzaga.Na Arena das Artes, a programação inclui contação de histórias e apresentações musicais. Às 18h, Myrle Santa Brígida apresenta a história “Escolho abrir a janela pra contar e esperançar com Heliana Barriga: a abelha abelhuda, caneluda, orelhuda e nariguda”. A Amazônia Jazz Band dará o tom às 20h, na Arena Amazônia. A abertura oficial será às 18h, mas a visitação estará liberada a partir das 9h.

Além disso, uma mostra de cinema será oferecida pelo Museu da Imagem e do Som (MIS) durante todos os dias de Feira, sempre às 19h. Os filmes acompanharão as temáticas das vozes de cada dia, a curadoria é da diretora do museu, Indaiá Freire, e o debatedor da mostra é Marco Antônio Moreira. “Um dia com Jerusa” será o primeiro filme exibido, neste sábado; no domingo, 10, a vez é do longa “Tito e os Pássaros”. No dia das Vozes da Diversidade e Inclusão, 11, “O Futuro é Nosso” será apresentado; já na terça-feira, 12, a vez é da obra “Ioiô e Iaiá”. “Memórias de Militância” é o longa do dia 14; na sexta-feira, 15, será exibido “O Boi Bumbá de Salvaterra e suas Comunidades Quilombolas”. No último final de semana de Feira, serão transmitidos os filmes “Amazônia, a Nova Minamata?” e “A Terra Negra dos Kawa”, respectivamente.

O dia 09 de setembro será dedicado às Vozes dos Homenageados e o dia 10, às Vozes da Infância. No dia 11, é a vez de contemplar as Vozes da Diversidade e Inclusão e, no dia 12, as Vozes da Baixada. Já no dia 13 o espaço será das Vozes da Democracia, o dia 14 será dedicado ao debate ambiental, com as Vozes do Clima. Na sexta-feira, 15, a Feira traz as Vozes do Marajó e, no dia seguinte, 16, as Vozes dos Escritores Paraenses serão o destaque. Para encerrar, no dia 17, será a vez das Vozes da Cultura de Paz.

Este ano, a Feira terá 39 rodas de conversas, nove saraus, sete Papos-cabeça, além da exibição de cinco programas Sem Censura (TV Cultura), ao vivo. Durante oito dias, as atividades ocorrerão simultaneamente em três espaços: Arena das Artes, Arena Multivozes e Arena Amazônia, que deverá receber também os shows, todas as noites, gratuitamente. Mundo Bita, Linn da Quebrada, Chico César, Kaê Guajajara e Gaby Amarantos são algumas das atrações confirmadas. Haverá ainda mais de 145 sessões de autógrafos no Ponto do Autor, 18 empreendimentos do segmento de artesanato e os ilustradores e ilustradoras credenciados no Beco do Artista.

Asfalto no Ramal do Cuamba custará menos que o licitado

Anterior

Filhote de Peixe-Boi resgatado passa bem

Próximo

Vocë pode gostar

Mais de Notícias

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *