Na terça-feira da semana passada (19), quando estava em votação no plenário da Assembleia Legislativa projeto de Indicação de autoria da deputada Professora Nilse Pinheiro transformando o Conselho Estadual de Educação em autarquia, detentora de autonomia deliberativa, financeira e administrativa,…

A desgraça sempre chega a galope, mas tudo o que é bom se arrasta indefinidamente no Brasil, o país dos contrastes e contradições, rico por natureza, com poucos bilionários e povo abaixo da linha da pobreza. Parece inacreditável, mas tramita…

O prefeito de Oriximiná, Delegado Willian Fonseca, foi reconduzido ao cargo pelo juiz titular da Vara Única daComarca local, Wallace Carneiro de Sousa, e literalmente voltou a tomar posse nos braços do povo. Era por volta do meio-dia, hoje (26),…

A equipe multidisciplinar do centro obstétrico da Fundação Santa Casa de Misericórdia do Pará, em Belém (PA), vivenciou uma experiência rara e emocionante: o parto empelicado. Imaginem um bebê nascendo dentro da placenta intacta, com os movimentos visíveis, praticamente ainda…

21 bairros sem água no fim de semana

A adutora da Estação Bolonha, a maior e mais importante do sistema de distribuição de água da Cosanpa, por onde passam 13,5 milhões de litros d’água por hora, está com um grande vazamento, desde dezembro, e terá que ser desligada para o conserto. Por isso, ficarão sem água, total ou parcialmente, 21 bairros: Guamá, Condor, Cremação, São Brás, Canudos, Fátima, parte do Marco, Terra Firme, Jurunas, parte de Batista Campos, Pedreira, Telégrafo, Barreiro, Sacramenta, Marambaia, Castanheira, parte de Jaderlândia, Atalaia, Guanabara, parte do Coqueiro e parte da Cidade Nova. Pelo menos 850 mil pessoas serão impactadas.

Essa adutora leva a água captada nos mananciais e tratada na Estação Bolonha até a Estação São Brás, onde se conecta com os dutos que distribuem para seis setores, responsáveis pelo abastecimento de 168 mil pontos de consumo.

A partir das 21h de sexta-feira (20), a adutora será cortada em dois pontos, para retirada de um trecho de 3 metros, colocação da peça substituta e soldagem, além de reforço à estrutura remanescente.
O serviço tem de ser feito com a área isolada e seca, sem interrupção, e demora cerca de 20 horas. 

A água tem que ser liberada aos poucos, até preencher todo o tubo e ganhar a pressão necessária para a distribuição ser recomposta. Aí vão pelo menos mais seis horas. Por conta disso, alguns bairros acabam recebendo a água antes dos outros. A previsão é de que só na segunda-feira (23) pela manhã, todo o sistema esteja normalizado. 

A população deve se prevenir, armazenando água e reduzindo o consumo na sexta-feira.
Os hospitais serão abastecidos por carros-pipa operados pela Defesa Civil. Serviços como a hemodiálise, por exemplo, não serão paralisados. Lugares de grande concentração de pessoas também serão abastecidos dessa forma, bem como alguns conjuntos habitacionais.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *