Embora o Quartel Tiradentes esteja localizado no coração do bairro do Reduto, sediando o 2º BPM e duas Companhias da Polícia Militar do Pará, os meliantes parecem desafiar abertamente os policiais. Os assaltos no bairro continuam muito frequentes, principalmente no…

Douglas da Costa Rodrigues Junior, estudante de Letras - Língua Portuguesa da Universidade Federal do Pará e bolsista do Museu Paraense Emílio Goeldi, ganhou a 18ª edição do Prêmio Destaque na Iniciação Científica e Tecnológica na área de Ciências Humanas…

O Ministério Público do Trabalho PA-AP abrirá na segunda-feira inscrições para Estágio de Nível Superior. A seleção será destinada ao preenchimento de vagas e formação do quadro de reserva de estagiários dos cursos de Administração/Gestão Pública, Biblioteconomia, Direito, Jornalismo, Publicidade/Propaganda…

Hoje, dia 23 de julho de 2021 às 19h, o Instituto Histórico e Geográfico do Pará realizada a nona “Live em Memória” da programação alusiva aos 121 anos do Silogeu, desta vez em homenagem ao centenário de nascimento do Almirante…

Violência contra a mulher

O deputado Lélio Costa (PCdoB) apresentou projeto de lei estabelecendo que os registros de ocorrência  de homicídio perpetrado contra mulheres, lavrados pela Polícia Civil do Pará, passem a usar a denominação “feminicídio” e constem no banco de dados divulgado regularmente pela Secretaria de Estado de Segurança Pública. Lélio acentuou os números estarrecedores: em 2012, foram computadas 4.719 mortes de mulheres por meio violento no Brasil, ou 4,7 assassinatos para cada 100 mil mulheres. Mas o pior é que a realidade da violência sofrida pela mulher é muito mais grave do que as estatísticas oficiais. Muitos registros são perdidos, e não há nos próprios registros policiais a designação do crime de feminicídio, o que muito dificulta a aferição de números reais.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *