0

A sessão plenária virtual da terça-feira passada (22) foi a primeira do Tribunal Regional Eleitoral do Pará a utilizar tradução simultânea na Língua Brasileira de Sinais (Libras). Era a posse solene da juíza federal Carina Cátia Bastos de Senna como efetiva da Corte Eleitoral para o biênio 2021/2023. A acessibilidade é um dos objetivos incluídos no plano de ação da presidente do TRE-PA, desembargadora Luzia Nadja Guimarães Nascimento, que já incluiu o uso de Libras em todas as manifestações públicas do tribunal, a fim de incluir pessoas com deficiência auditiva.

A videoconferência transmitida ao vivo pelo canal no YouTube do TRE foi prestigiada pela desembargadora Luzia Nadja Guimarães Nascimento, pelo vice-presidente e corregedor regional eleitoral, desembargador Leonam Gondim da Cruz Jr.; pelos juízes de direito Álvaro José Norat de Vasconcelos e Edmar Silva Pereira; os juízes juristas Diogo Seixas Conduru e Rafael Fecury Nogueira, o juiz federal Sérgio Wolney de Oliveira Batista Guedes; a procuradora regional eleitoral substituta, Nathalia Mariel Ferreira de Souza Pereira e a secretária judiciária, Mayra Cavalcante e Silva, além dos familiares da magistrada empossada: sua mãe, filhos e irmão.

“O juiz eleitoral não deve ser um juiz alheio e alienado à crise da democracia representativa e às mazelas do sistema político. Deve, ao contrário, ser conhecedor das múltiplas facetas da realidade e contribuir ao regime democrático com rigor técnico, compromisso ético e independência das contingências políticas”, acentuou a nova integrante da corte, em seu pronunciamento oficial.

Carina Senna é baiana, doutoranda e mestre em Ciências Jurídicas, e Pós-graduada em Direito do Estado. Antes da magistratura, foi advogada e depois Procuradora do Estado da Bahia. Juíza federal desde 2007, atuou como convocada na 4ª Turma do Tribunal Regional Federal da 1ª Região, em 2017 e 2018. Desde 2014 é titular da 12ª vara federal e professora universitária de graduação e pós-graduação.

Franssinete Florenzano
Jornalista e advogada, membro da Academia Paraense de Jornalismo, da Academia Paraense de Letras, do Instituto Histórico e Geográfico do Pará, da Associação Brasileira de Jornalistas de Turismo e do Instituto Histórico e Geográfico do Tapajós, editora geral do portal Uruá-Tapera e consultora da Alepa. Filiada ao Sinjor Pará, à Fenaj e à Fij.

Diretor da Vale depôs à CPI e mais dois executivos serão ouvidos

Anterior

Memórias, africanidade e herança indígena em e-book gratuito

Próximo

Vocë pode gostar

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *