Vanete Oliveira, 28 anos, mãe de cinco filhos, vive em Portel, município do arquipélago do Marajó(PA). Ela sofre há catorze anos dores atrozes além do desconforto, trauma e todo tipo de dor física e psicológica, por conta de um tumor…

As Diretorias de Combate à Corrupção e de Polícia do Interior da Polícia Civil do Pará prenderam hoje (28), no Distrito Federal, durante a Operação "Litania”, uma falsa empresária e sócios-proprietários que utilizavam empresa de fachada como instituição financeira para…

A Secretaria de Estado da Fazenda do Pará publicou extrato de dispensa de licitação para contratar a Prodepa, por R$800.427,88, a fim de desenvolver novo site da Transparência do Governo do Pará, com criação de nova arquitetura de informação, navegação…

Andar de motocicleta proporciona histórias, experiências e adrenalina. Motos oferecem facilidade de locomoção rápida e de conseguir estacionamento. Mas a liberdade é, sem dúvida, o motivo número 1 de todo motociclista. Sentir o vento, o clima, fazer parte da paisagem. Este é…

Travessia do Moju ganha melhoria

Foto: Rodolfo Oliveira
Até que enfim o governo do Estado informou o que todo mundo queria saber:  se a empresa que derrubou a ponte do Moju está sendo responsabilizada ou os paraenses é que estão pagando a conta. Ontem à tarde, em concorrida audiência pública na Assembleia Legislativa, o chefe da Casa Civil, José Megale, disse que o Estado está pagando, enquanto a questão tramita no Judiciário, mas o Pará já foi ressarcido até agora em R$ 10,5 milhões. E o dinheiro está sendo empregado no conserto da ponte, óbvio. As reclamações dos usuários da travessia serviram para que uma terceira balsa grande e uma lancha entrem agora em operação para transportar passageiros. E o governo está procurando mecanismos legais para utilizar os 33 barcos da população local, que também podem fazer a travessia. 

Os caminhões vão começar a ser pesados e aqueles com mais de 80 toneladas não vão passar, porque “todas as vezes que eles passam as balsas quebram e o reparo interrompe a operação por seis horas”, adiantou Megale, que prometeu, também, a sinalização da estrada e mais um conserto emergencial nos 12 quilômetros considerados mais críticos da PA-252, a fim de melhorar a trafegabilidade. Duas vans irão transportar passageiros da balsa até o trevo de Abaetetuba. Outros benefícios serão a manutenção dos banheiros e da iluminação do ponto de travessia das balsas. 

Vamos acompanhar, vamos cobrar.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *