Ontem duas famílias viveram momentos de terror, vítimas de assalto à mão armada por volta das 13 horas, durante passeio no Parque do Utinga, um dos lugares mais lindos de Belém e importante equipamento turístico parauara. Trata-se do oitavo roubo…

Em iniciativa inédita, o Fórum de Entidades em Defesa do Patrimônio Cultural Brasileiro celebra os percursos individuais e coletivos que construíram as políticas de salvaguarda do patrimônio cultural no Brasil, lançando a obra “Em Defesa do Patrimônio Cultural”, organizado por…

Neste sábado, 16, postos de saúde ficarão abertos para a vacinação com foco em menores de 15 anos. Em Belém, 11 unidades vão funcionar das 8h às 14h. A campanha da Multivacinação iniciou no dia 04 de outubro e segue…

De autoria do carnavalesco e professor Paulo Anete, o enredo para o Carnaval 2022 da Escola de Samba Grêmio Recreativo Carnavalesco e Cultural Os Colibris, de Belém do Pará, é “Zélia Amada/ Zélia de Deus/ Zélia das Artes/ Herdeira de…

Temer assinou cessão da BR-316 com Jatene e Helder


O Pará sofre há décadas os efeitos perversos do ódio entre grupos políticos rivais. Para desgraça de todos os parauaras, o que um faz o outro desfaz. Pois hoje, há cerca de uma hora, o presidente Michel Temer reuniu em seu gabinete o governador do Pará, Simão Jatene(PSDB), o ministro da Integração Nacional, Hélder Barbalho(PMDB), e o ministro dos Transportes, Maurício Quintella, e finalmente assinou a cessão de uso da BR-316, no trecho que vai do Entroncamento, em Belém, até Marituba.

Há mais de um ano Jatene vinha pedindo a cessão. O então ministro dos Transportes, Antonio Carlos Rodrigues, chegou a anunciar em junho de 2015 que o ato seria efetivado até o dia 13 de julho do ano passado. Disse, na época: “nós estamos com problemas caseiros, mas vamos resolver. Já estamos finalizando esse processo”, sem explicar o termo “caseiro“, que ensejou mil e duas suposições. Pior: não cumpriu a palavra. Durante os debates do 11º Fórum dos Governadores da Amazônia Legal, em Manaus, em 24 de julho de 2015,  Jatene cobrou publicamente o compromisso. De novo ouviu desculpas esfarrapadas e de lá para cá foram incontáveis as ocasiões de evidente jogo-de-empurra. E nada de solução.

Com a concessão pela União, o trecho de 16 quilômetros que vai até quase na entrada de Benfica, além da Alça Viária, passará a ser administrado pelo governo do Pará, que executará obras para melhorar o fluxo do tráfego no perímetro, entre elas a reconstrução das pistas, com três faixas em cada sentido, a implantação de ciclovias e a utilização do canteiro central para as obras de expansão do sistema de transporte urbano, tudo dentro do programa Ação Metrópole. O projeto inclui a construção de alternativas viárias à BR-316, como o prolongamento das avenidas João Paulo II e Independência, e a adequação de vias que integram a rede de transporte coletivo. Agora Jatene poderá lançar a licitação do BRT Metropolitano, que compreende exatamente o trecho que passará à gestão estadual. As obras receberão recursos da Agência de Cooperação Internacional do Japão (Jica), com contrapartida do Estado. Entre os serviços a serem executados está a drenagem, que praticamente inexiste. A rodovia também vai ganhar nova iluminação, toda em LED, e ciclovias nas extremidades, além de bicicletário e passarelas. A pista central será exclusiva para o BRT. O investimento do governo do Estado vai girar em torno de R$ 1 bilhão.

A ideia data do governo Almir Gabriel, quando Jatene era secretário especial de Produção. Desde 1998 a Setran já trabalhava pela cessão, que por questiúnculas partidárias não foi concretizada. 

Vamos acompanhar e cobrar.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *