1

No próximo dia 9 de março, das 17h30 às 21h30, o jornalista, publicitário e artista plástico Sérgio Bastos vai lançar o livro de aquarelas “Belém Tem Disso”, com 66 desenhos de cenas cotidianas da capital do Pará, envolvendo personagens e situações típicas e retratando a história, tradição e cultura popular amazônida paraura. A linda série que ele criou há décadas já acumula mais de quatrocentos desenhos. O jornalista Nélio Palheta prefaciou a obra, editada pela Paka Tatu, que será a anfitriã do evento.

Sérgio Bastos é carioca mas vive em Belém desde a infância. Começou a pintar aos 45 anos, em 2002. No ano seguinte, fez a sua primeira exposição individual, voltada a placas de propaganda popular. Ainda em 2003, expôs pinturas e desenhos tendo o açaí como tema, e participou de duas exposições coletivas. Ilustrou também dois livros infantis, “Aranha para os mais Íntimos” e “A festa no espaço”, de Linda Ribeiro. Tem obras em coleções particulares e nos acervos da Elf Galeria, galeria de arte do Centro Cultural Brasil – Estados Unidos; galeria do Laboratório da Beneficência Portuguesa em Belém e na OAB-PA.

A paixão pelo desenho o levou ao primeiro emprego, como ilustrador do jornal O Estado do Pará, em 1976. Dois anos depois foi para O Liberal, onde ficou por oito anos. Aos 29 anos, deixou o jornalismo e passou a trabalhar como Diretor de Arte na Griffo Comunicação e em agências de propaganda de Recife, Fortaleza, São Luís e São Paulo.

Depois de quase dezoito anos se dedicando apenas ao jornalismo e ao design gráfico, voltou a desenhar, criando a coluna Belém Tem Disso, publicada em O Liberal a partir de 2004, retratando a cidade e seus habitantes. A coluna, que durou dez anos, deu origem a três publicações e uma série de animação para televisão. Ainda para a TV, produziu outra série de animação, sobre ecologia, intitulada Contos da Amazônia. Sérgio também retratou os rios, na série de aquarelas Amazônia Líquida. Atualmente, é Gerente de Comunicação do Sindicato dos Servidores do Fisco Estadual do Pará – Sindifisco.

Contatos: Fátima Gonçalves, pelo (91) 99140 3782. Ou com o próprio autor: (91) 981230654.

Força-tarefa em Abaetetuba para atuar na situação de emergência

Anterior

Amazônia : Resolvendo o passado e olhando para o futuro

Próximo

Vocë pode gostar

1 Comentário

  1. Para nós, apaixonados pela terrinha querida, é motivo de satisfação ter nosso cotidiano retratado pelas mãos de um artista carioca, cuja sensibilidade, permite valorizar nossa cultura.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *