Embora o Quartel Tiradentes esteja localizado no coração do bairro do Reduto, sediando o 2º BPM e duas Companhias da Polícia Militar do Pará, os meliantes parecem desafiar abertamente os policiais. Os assaltos no bairro continuam muito frequentes, principalmente no…

Douglas da Costa Rodrigues Junior, estudante de Letras - Língua Portuguesa da Universidade Federal do Pará e bolsista do Museu Paraense Emílio Goeldi, ganhou a 18ª edição do Prêmio Destaque na Iniciação Científica e Tecnológica na área de Ciências Humanas…

O Ministério Público do Trabalho PA-AP abrirá na segunda-feira inscrições para Estágio de Nível Superior. A seleção será destinada ao preenchimento de vagas e formação do quadro de reserva de estagiários dos cursos de Administração/Gestão Pública, Biblioteconomia, Direito, Jornalismo, Publicidade/Propaganda…

Hoje, dia 23 de julho de 2021 às 19h, o Instituto Histórico e Geográfico do Pará realizada a nona “Live em Memória” da programação alusiva aos 121 anos do Silogeu, desta vez em homenagem ao centenário de nascimento do Almirante…

Punição aos pedófilos!

A CPI nos permitiu compreender que, entre os maus tratos cometidos contra crianças e adolescentes, o abuso sexual é a ultrapassagem de limites de direitos humanos, de limites legais ou de poder, que afeta irremediavelmente o desenvolvimento das vítimas. É a desumanização de quem é atingido, destruindo a sua identidade, transformando-a em mercadoria e objeto que atende à nefasta necessidade do abusador. Junta-se à violação do corpo, a violação da alma.

Vimos crianças com o olhar perdido, triste, rosto pálido, assustado, e, pior do que isto, envergonhadas, como se fossem elas as culpadas! Ainda assim, tiveram coragem de contar suas histórias, substituindo o medo pela confiança que nos dedicaram. Aliás, esse foi o maior mérito da CPI: romper o pacto do silêncio, favorecido pela cultura hegemônica da nossa sociedade que acata a violência como elemento constitutivo das relações humanas, por ainda considerar “natural” o poder do mais forte sobre o mais frágil.

A CPI permitiu trazermos à luz crimes silenciosos, malignos, com sequelas emocionais incuráveis e dar voz aos que foram atemorizados para se calarem. Desenterramos de profundezas subterrâneas muita dor e pranto de vítimas desprotegidas, expusemos à sociedade e à opinião pública a gravidade e complexidade dessa mazela social.

(…)O Poder Judiciário tem a tarefa de garantir a celeridade na apuração das denúncias e na rigorosa pena que merecem esses criminosos. Todos sabemos que a impunidade inibe a coragem, destroi a confiança e enfraquece a cidadania.”

(Trecho do relatório final da CPI da Pedofilia da Alepa, cujo relator foi o deputado estadual Arnaldo Jordy (PPS), presidida pelo deputado Adamor Aires (PR) e integrada pelas deputadas Simone Morgado (PMDB), Regina Barata (PT), Suleima Pegado (PSDB), e deputados Márcio Miranda (DEM) e Deley Santos (PV)).

O blog vai publicar, em partes, todos os dias, trecho desse importante documento em defesa da dignidade e da vida de nossas crianças e adolescentes. Ajudem a divulgar e a pressionar pela punição dos culpados de tão pavoroso crime.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *