Nesta quinta-feira, dia 21, até o sábado, 23, a Escola do Legislativo da Assembleia Legislativa do Pará oferece os cursos de qualificação e atualização do projeto Forma Alepa/Elepa Itinerante em Santarém, atendendo toda a região do Baixo Amazonas, abrangendo também…

Em reunião conjunta das Comissões de Fiscalização Financeira e Orçamentária (CFFO) e de Constituição e Justiça (CCJ) da Assembleia Legislativa, nesta segunda-feira (18) foi aprovado o projeto de lei nº 363/2021, que autoriza o Governo do Pará a contratar operação…

Não houve o célebre círio fluvial de Oriximiná no rio Trombetas este ano, por causa da pandemia, mas a imagem de Santo Antônio flanou pelas águas, levada pela comunidade de várzea do Rio Cachoeiry, que celebrou o verão depois da…

Aprender mais sobre as boas práticas Lixo Zero e como aplicá-las no dia a dia, repensando hábitos de consumo e inspirando a população a enxergar os seus resíduos com dignidade é o que propõe a programação que acontecerá entre os…

Projeto eleva ICMS do Pará a 18%

O governador Simão Jatene enviou 17 projetos de lei à Assembleia Legislativa nesta semana. Um deles estabelece que a alíquota do ICMS no Pará passe de 17% para 18%, a partir de 2017. Na Mensagem, explica que o aumento foi sugerido pelo Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz) há um ano, buscando padronizar as alíquotas em todo o território nacional, e que a medida é necessária diante da grave crise financeira que atinge o país, com rebatimento nos Estados. 

A receita total do Pará somou, de janeiro a outubro, R$13,7 bilhões, valor 4,6% menor que o registrado no mesmo período do ano passado, descontada a inflação.
A maior contribuição para esse resultado negativo foi observada nas receitas transferidas, que caíram mais de 8% no período, totalizando R$4,2 bilhões. No caso do Fundo de Participação dos Estados (FPE), a redução chegou a quase 7%. O IPI alcançou R$ 184 milhões, numa variação negativa de 31,6% em termos reais, em relação ao mesmo período de 2015. 

Já com a receita própria foram arrecadados de janeiro a outubro R$9,5 bilhões. Descontada a inflação, a queda da arrecadação em comparação ao mesmo período de 2015 chega a 2,9%.
Com a nova alíquota, a estimativa da Secretaria da Fazenda (Sefa) é de que o aumento represente crescimento de R$180 milhões/ano na arrecadação própria do Estado. 

A alteração incide sobre a maioria das mercadorias. Alguns produtos, como comunicações, gasolina e energia elétrica, têm tarifas diferenciadas.
Quatorze estados e o Distrito Federal já praticam a alíquota padrão de 18%, enquanto 11 estados mantém o patamar de 17%. Rondônia usa como alíquota geral 17,5%. 

O Índice de Atividade Econômica do Pará (IBC-R PA) registra uma retração de -2,2% em 12 meses. O volume de vendas do comércio varejista parauara caiu em 11,7% em 12 meses e o desempenho do Pará ficou abaixo do índice geral da Federação, que teve queda de 6,6% e apresenta sinais de estabilização. Contudo, a produção industrial do Pará continua em expansão (7,6%), ao contrário da produção nacional (-8,8%). 

O resultado positivo do Pará, no entanto, deve-se unicamente ao desempenho do setor extrativo/mineração (11,4%), já que a indústria de transformação registra queda de -7,3% em 12 meses.
Além disso, o Estado tem quase 30% do seu PIB desonerado, ou seja, sem poder recolher impostos pelos produtos exportados. E apesar da balança comercial positiva, ainda não conseguiu garantir, junto à União, as compensações pela perda de arrecadação.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *