0
A possibilidade da presença de grupos indígenas isolados na região entre os rios Xingu e Bacajá, na área de influência da UHE-Belo Monte, levou a Funai a restringir, por dois anos, a entrada de pessoas na Terra Indígena Ituna/Itatá, no Pará, onde vivem comunidades Araweté, Apiterewa, Assurini e Xikrin. 
A interdição é necessária para garantir a segurança dos índios e permitir estudos etno-históricos.  
Franssinete Florenzano
Jornalista e advogada, membro da Academia Paraense de Jornalismo, da Academia Paraense de Letras, do Instituto Histórico e Geográfico do Pará, da Associação Brasileira de Jornalistas de Turismo e do Instituto Histórico e Geográfico do Tapajós, editora geral do portal Uruá-Tapera e consultora da Alepa. Filiada ao Sinjor Pará, à Fenaj e à Fij.

Questão de bom senso

Próximo

Vocë pode gostar

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *