O Procurador-Geral de Justiça César Mattar Jr. inaugurou nesta quinta-feira, 16, o Núcleo Eleitoral do Ministério Público do Estado do Pará, que vai funcionar na sede das Promotorias de Justiça de Icoaraci, distrito de Belém. O coordenador será o promotor…

A desembargadora Maria de Nazaré Saavedra Guimarães, que se destaca pelo belo trabalho que desenvolve à frente da Comissão de Ações Judiciais em Direitos Humanos e Repercussão Social do Tribunal de Justiça do Estado do Pará, e que já coordenou…

Brega no Pará é coisa séria. Tem Brega Pop, Brega Calypso, Brega Marcante, Brega Saudade, Tecnobrega, Melody, Tecnomelody … Verdadeiro hino (música oficial dos 400 anos de Belém), não há quem desconheça o clássico Ao Por do Sol, eternizado na…

Uma reunião no Ministério Público do Estado do Pará colocou em pauta a situação caótica da Unidade de Conservação Estadual Área de Proteção Ambiental da Ilha do Combu, onde proliferam construções e empreendimentos comerciais irregulares, transporte fluvial desordenado, festas e…

Plantando Árvores por Pessoas na UFPA

Além de administrar os bosques Camilo Vianna e Benito Calzavara, da Universidade Federal do Pará em Belém e coordenar o projeto “Plantando Árvores por Pessoas”, às quartas e sextas-feiras Gina Calzavara cozinha em um fogão a lenha projetado por um professor, arruma mesas com pratos, copos e talheres e alimenta os trabalhadores do campus e pessoas muito pobres que vão levar familiares ao hospital Bettina Ferro. Detalhe: o cheiro da comida é tão bom que outro dia uma criança passou em um carro e começou a gritar que estava com fome e a mãe perguntou se ela aceitava pagamento com cartão de crédito para o almoço. 

Margeada e cortada por rios e igarapés, há sessenta anos a UFPA foi instalada em 450 hectares de várzea, no bairro do Guamá, na orla de Belém. O aumento de áreas construídas exterminou florestas, bosques, matas de restinga e manguezais. Foi aí que o então vice-reitor, o médico e ambientalista Camilo Martins Vianna, idealizou o projeto do Trote Ecológico, que implantou a partir do vestibular de 1990, capitaneando uma equipe de idealistas ecológicos que queriam contribuir para o desenvolvimento de uma consciência preservacionista e de pertencimento nos alunos ingressantes da instituição, com o compromisso político-pedagógico de reflorestar e recuperar os solos das áreas devastadas do campus. Os calouros eram convidados a plantar e cuidar de uma muda até sua saída da UFPA. Além disso, o projeto humanizou o ingresso dos alunos na Universidade, acabando com os trotes abusivos. A recepção na vida acadêmica sem violência e com ação cidadã resultou logo no primeiro ano no plantio de mudas de duzentas espécies nativas da Amazônia, além de árvores exóticas adaptáveis e úteis à região. 

Hoje, nos refrescantes bosques Camillo Vianna e Benito Calzavara são desenvolvidos trabalhos multidisciplinares com ações voltadas para a educação ambiental, que além de amenizar o calor oportunizam o reaproveitamento de resíduos sólidos, apoiando e subsidiando estudos e exercitando a solidariedade.  

As Universidades brasileiras acabam de sofrer um duro golpe e precisam do apoio da sociedade. Qualquer pessoa pode ajudar nesses projetos, doando mudas, terra com adubo orgânico, alimentos e outros itens necessários, além da mão-de-obra voluntária. Por exemplo, é preciso uma mangueira bem longa, com no mínimo 50 metros, a fim de facilitar a rega das mudas. Uma placa tipo outdoor, em lona para ser durável, com a identidade visual da UFPA, a fim de sinalizar a área do projeto (a faixa que existe lá é derrubada pelas intempéries). Paisagistas que criem espaços e composições adequados. Assistentes sociais que levem acolhimento aos pacientes do Bettina Ferro. Engenheiros sanitaristas e engenheiros civis que ajudem a despoluir os rios e igarapés. Quem se dispuser a ajudar pode entrar em contato comigo pelo e-mail franssi@uruatapera.com . 

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *