Evellyn Vitória Souza Freitas nasceu no chão do banheiro do Hospital Municipal de Portel, município do arquipélago do Marajó (PA), no dia 28 de julho de 2021, por volta das 8h da manhã, prematura de 28 semanas e dois dias, pesando 1Kg e 39…

Vanete Oliveira, a jovem marajoara de 28 anos e mãe de cinco filhos que sofre há catorze anos com um tumor enorme em um dos olhos, que lhe cobre quase a metade da face, já está internada no Hospital Ophir…

Equipes da Divisão de Homicídios e da Delegacia de Repressão de Furtos e Roubos estavam monitorando há um mês o grupo criminoso que planejava roubar em torno de R$ 1 milhão no caixa eletrônico do Banpará localizado dentro do Hospital…

Vanete Oliveira, 28 anos, mãe de cinco filhos, vive em Portel, município do arquipélago do Marajó(PA). Ela sofre há catorze anos dores atrozes além do desconforto, trauma e todo tipo de dor física e psicológica, por conta de um tumor…

Pé de Boto deve se apresentar à Justiça


O ex-prefeito de Igarapé-Miri, Ailson Santa Maria do Amaral, conhecido como Pé de Boto, com prisão preventiva decretada pelo juiz Deomar Alexandre de Pinho Barroso, que responde pela Vara Criminal de Barcarena,  deve se apresentar à Justiça a qualquer momento. Ele é considerado foragido e chegaram a circular boatos falsos sobre sua morte em conflito com a polícia, pelas redes sociais.

Outros 11 denunciados por supostos crimes que culminaram com a Operação Falso Patuá também tiveram prisão decretada, a pedido do promotor de Justiça Harrison Bezerra, do Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas (Gaeco), do Ministério Público Estadual. Conforme denúncia do procurador  de Justiça Nelson Medrado, Ailson Amaral atentou contra o regime democrático de direito, contra a vida de pessoas e as liberdades individuais, implantou clima de terror em Igarapé-Miri e violou todos os princípios da administração pública. 

A apresentação de Pé de Boto por seus advogados é estratégia já utilizada por alguns dos envolvidos durante as prisões temporárias da Operação Falso Patuá em setembro de 2014. E deu certo, tanto que as prisões foram revogadas antes do prazo de 30 dias determinado pelo desembargador Rômulo Nunes. 

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *