0
Compartilhamento

Análise feita pelo Banco Mundial revelou que, nos 63 empreendimentos licenciados pelo Ibama entre 1997 e 2006, a emissão de licenças prévias demorou, em média, 1.188 dias. Pelas normas legais, elas devem ser liberadas em até um ano. A realização de audiências públicas, nos empreendimentos analisados, ocorreu, em média, 239 dias após a aprovação dos EIA/RIMA (Estudos e Relatórios de Impacto Ambiental) quando, pelas regras, deveriam acontecer 45 dias depois. E a aprovação dos EIA/RIMA demorou, em média, 576 dias, contrariando a legislação que prevê, no máximo, 120 dias. Como se diz na minha terra, mas assim…

Franssinete Florenzano
Jornalista e advogada, presidente da Academia Paraense de Jornalismo, membro da Abrajet, do IHGP e do IHGTap, editora do portal Uruá-Tapera.

Resgate histórico na Codem

Anterior

Grilagem na Terra do Meio em debate

Próximo

Vocë pode gostar

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *