0

Depois de três anos de estudos e rigoroso cruzamento de informações, a Comissão Permanente de Monitoramento, Estudo e Assessoramento das Questões Ligadas à Grilagem, criada pelo Tribunal de Justiça do Pará, revelou no início de 2009 que 6.102 títulos de terra registrados nos cartórios do Estado são irregulares. Somados, os papéis representam mais de 1,1 milhão de Km² – e o Pará tem área de 1,2 milhão de Km².

Mesmo assim, o próprio TJE-PA continuou a expedir mandados de reintegração sem observar primeiro a obrigatoriedade de cancelar os títulos fraudulentos.

Franssinete Florenzano
Jornalista e advogada, membro da Academia Paraense de Jornalismo, da Academia Paraense de Letras, do Instituto Histórico e Geográfico do Pará, da Associação Brasileira de Jornalistas de Turismo e do Instituto Histórico e Geográfico do Tapajós, editora geral do portal Uruá-Tapera e consultora da Alepa. Filiada ao Sinjor Pará, à Fenaj e à Fij.

Justiça tardia

Anterior

Omissão & insensibilidade

Próximo

Vocë pode gostar

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *