Hoje a Assembleia Legislativa do Pará retomou seus trabalhos no segundo período legislativo do terceiro ano da da 19ª Legislatura, de forma totalmente presencial, apesar da reforma do prédio sede do Palácio Cabanagem e do próprio plenário Newton Miranda. Após…

Em visita oficial, a Academia Paraense de Jornalismo e a Comissão de Defesa do Patrimônio Histórico do Instituto Histórico e Geográfico do Pará pediu ao prefeito de Belém, Edmilson Rodrigues, o veto à alteração dos nomes da Rua da Municipalidade…

O IV Distrito Naval da Marinha do Brasil, em parceria com o Ministério Público do Estado do Pará (MPPA), Praticagem da Barra do Pará, Sociedade Amigos da Marinha Pará, Secretarias de Saúde de Barcarena e do Estado do Pará, Tribunal…

Guy Veloso, filho do saudoso jurista, notário e político Zeno Veloso, plantou em sua memória um pé de baobá na Universidade Federal do Pará, onde o ilustre parauara se destacou como professor de direito civil e direito constitucional, formando gerações…

Justiça tardia

Começa hoje e vai até o fim deste mês um mutirão do CNJ e TJE-PA que pretende acelerar processos de crimes relacionados a conflitos fundiários no Pará. As Varas penais das comarcas de Marabá, Parauapebas, Rio Maria e Xinguara – palco histórico de disputas sangrentas pela terra entre fazendeiros, sem-terras e grileiros – foram escolhidas para o início dos trabalhos. Lá, 22 processos criminais tramitam, alguns há mais de 20 anos. Há casos em que réu nem testemunhas foram encontrados. O mutirão vai levantar os motivos da demora no andamento, fazer audiências e promover julgamentos.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *