0

José Augusto Barbosa Magalhães abusava sexualmente de sua filhinha de apenas 3 anos, com o agravante de a própria mãe da criancinha estimular e filmar os atos. Um desses vídeos vazou em grupo de WhatsApp e chegou às mãos do conselheiro tutelar José Nazareno, que imediatamente registrou um Boletim de Ocorrência na Delegacia de Polícia Civil do município de Santa Cruz do Arari, no arquipélago do Marajó (PA), pedindo providências.

O delegado de polícia superintendente regional do Marajó Oriental, Rodrigo Amorim, já tombou o inquérito, requerendo a prisão do abusador, que mora na Vila Jenipapo, no interior de Santa Cruz do Arari, e também tem residência na rua do Lixão, no centro da cidade.

Antes da prisão ser decretada, o abusador se evadiu e está na condição de foragido. A imagem dele é precária mas, se alguém o vir, deve denunciar à Polícia Civil ou Polícia Militar. O Ministério Público deve agir para preservar a integridade e dignidade da criança, e o juiz da comarca afastá-la o quanto antes do convívio da mãe.

Franssinete Florenzano
Jornalista e advogada, membro da Academia Paraense de Jornalismo, da Academia Paraense de Letras, do Instituto Histórico e Geográfico do Pará, da Associação Brasileira de Jornalistas de Turismo e do Instituto Histórico e Geográfico do Tapajós, editora geral do portal Uruá-Tapera e consultora da Alepa. Filiada ao Sinjor Pará, à Fenaj e à Fij.

Hélio Gueiros no Mutunuy

Anterior

2° episódio da websérie “Do Boteco à Baiuca”

Próximo

Vocë pode gostar

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *