0
Políticos infiéis e corruptos têm um ponto nevrálgico em comum. Lívia Bruna Gato de Melo, 20 e poucos anos, amante do governador Pedro Paulo e servidora da Secretaria de Estado da Saúde do Amapá, foi peça chave na Operação Mãos Limpas.
Com autorização da Justiça, a PF monitorava o telefone dela há um ano e descobriu todo o esquema: achando que a linha era segura, o governador conversava sobre negociatas e ela atuava no pagamento de propinas.
O casal fazia viagens de lazer com dinheiro da Secretaria (lembraram de outro casal?). Em uma conversa, Lívia conta que Benedito Dias (irmão do governador, ex-deputado estadual, indiciado em 2007 pela PF na Operação Sanguessuga) sugeriu a ela que saísse do Amapá. O motivo: um dossiê preparado pela mulher do governador, que a amante apelidou de Barbie. (Hummmm… Lembraram algo parecido?) e que seria entregue aos adversários políticos se o caso extraconjugal prosperasse.
Franssinete Florenzano
Jornalista e advogada, membro da Academia Paraense de Jornalismo, da Academia Paraense de Letras, do Instituto Histórico e Geográfico do Pará, da Associação Brasileira de Jornalistas de Turismo e do Instituto Histórico e Geográfico do Tapajós, editora geral do portal Uruá-Tapera e consultora da Alepa. Filiada ao Sinjor Pará, à Fenaj e à Fij.

Emoção & constrangimento

Anterior

PM X estudantes X TJE

Próximo

Vocë pode gostar

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *